Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

PF e Ministério público querem restituir investidores lesados na pirâmide financeira InDeal

PF e Ministério público querem restituir investidores lesados na pirâmide financeira InDeal

piramide financeira indeal

O Ministério Público Federal e a Polícia Federal estão tentando encontrar uma maneira de ressarcir as vítimas da pirâmide financeira InDeal, desmantelada na última terça-feira (21) por meio da “operação Egypto”.

A operação foi efetuada pela Polícia Federal e Receita Federal em cinco cidades gaúchas, além de São Paulo e Santa Catarina. Segundo o Gaúcha ZH, foram apreendidos 36 carros de luxo e R$ 1,3 milhões em dinheiro.

No Rio Grande do Sul, foram cumpridos mandatos judiciais em judiciais em Porto Alegre, Novo Hamburgo, Esteio, Estância Velha e Campo Bom. A mobilização contou com cerca de 130 policiais federais, 20 servidores da Receita Federal e seis policiais civis

O MPF informou que irá requerer a alienação antecipada de bens apreendidos e realizará levantamento, com a Polícia Federal, dos valores que ficaram bloqueados nas contas dos investigados.

No dia da operação, um morador da região afirmou que chegou a aplicar R$ 10 mil em criptomoedas através da InDeal. “Todo o dinheirinho que conseguia economizar, colocava nisso”, disse.

 

Vítimas devem procurar Justiça ou a Polícia Civil

Vítimas devem procurar Justiça ou a Polícia Civil

O procurador da República Celso Tres disse que, nesse tipo de situação, o mais indicado é que as vítimas da pirâmide InDeal procurem a Polícia Civil ou a Justiça para comprovar que foram lesadas e busquem o ressarcimento. Mas ressaltou que o caso não é simples.

“Nesse caso é mais complicado, pois foi movimentado mais de R$ 1 bilhão” afirmou.

O procurador ainda lembrou que a Receita Federal vai cobrar impostos sobre os valores.

“O governo vai querer o tributo e, na hora da restituição, as dívidas tributárias são prioritárias” acrescentou.

Empresa teria recebido mais de US$1 bilhão

Empresa teria recebido mais de US$1 bilhão

Segundo as investigações, em 15 meses, a empresa recebeu mais de 1 R$ bilhão de reais em depósitos em três diferentes contas bancárias.

A InDeal movimentava esses valores autorização do Banco Central e prometia um retorno de até 15% no primeiro mês de aplicação aos investidores.

Leia também: “Capitalização do Bitcoin deve ultrapassar US$ 1 trilhão, preço vai chegar a US$ 55 mil”, diz analista

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Receba as notícias mais importantes no seu email

Últimas Notícias