Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

TV Band exibe programa sobre criptomoedas com importantes personalidades do Mundo Cripto

TV Band exibe programa sobre criptomoedas com importantes personalidades do Mundo Cripto

criptoativos regulamentação brasil

No dia 27 de julho, o programa Dinheiro em Foco, da TV Band, com a apresentadora Fabiana Panachão, conversou sobre criptomoedas com o Fabrício Tota, diretor do Mercado Bitcoin e com a Solange Gueiros, especialista em Blockchain da Atlas Quantum.

 

O programa teve como foco discutir o crescimento das criptomoedas, além de como ela pode mexer com o sistema financeiro mundial e como isso pode mudar a forma de como mexemos e vemos o dinheiro.

No início da reportagem, foi explicado o que são as criptomoedas e afirmou que, segundo estimativas, cerca de 1,5 milhões de brasileiros já utilizam o Bitcoin e esse supera o número de pessoas na Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa), que conta com 1 milhão de usuários.

Em certo momento da entrevista, Panachão, discutiu sobre o Bitcoin ser um ativo para o longo ou curto prazo e pediu para os entrevistados tentarem comparar um pouco com as corretas de Bolsa de Valores. Sobre isso, Fabrício Tota disse:

“Tem algumas similaridades com o investimento em Bolsas, como os traders que se especializam em procurar acertar momentos de comprar e momentos de vender e fazer uma renda, aumentar seu capital através dessas operações. Por outro lado, da mesma forma que no mercado de ações temos usuários que compram e manter o investimento com um prazo mais longo, também é possível fazer a mesma coisa com as criptomoedas.”

 Em seguida, a Solange Gueiros completou:

“Uma coisa que você pode pensar também é ter um alvo, então de repente eu quero comprar um Bitcoin e eu só vou vender quando ele valer 4 vezes mais o que eu paguei, isso pode acontecer, de repente, em 3 meses, mas isso também pode acontecer em 4 anos, ou isso pode também nunca acontecer, mas você pode ter o seu objetivo.

 Ainda em comparação a ações, eles falaram sobre os riscos e as vantagens de comprar criptomoedas.

“O principal risco [do Bitcoin], é o risco do mercado e essas oscilações de curto prazo, mas, por outro lado, ele te oferece uma opção de diversificação, quando comparado aos investimentos tradicionais, que é muito raro e muito difícil de você alocar no investimento puro em tecnologia. Hoje não tem na bolsa brasileira uma empresa de tecnologia pura, ainda que o Bitcoin não seja uma empresa, é uma possibilidade de investimento que você tem de conseguir estar exposto a uma tecnologia disruptiva, inovadora e com potencial gigantesco de valorização.”, disse o Direto do Mercado Bitcoin.

“Eu concordo, mas também tem um detalhes: quando estamos investindo em ações, estamos falando em ações de empresas e elas podem falir, já o Bitcoin tem quase que nenhuma probabilidade de desaparecer.”, comentou a especialista em Blockchain da Atlas Quantum.

 Por fim, os entrevistados falaram sobre o mercado brasileiro e mundial das criptomoedas e a sua adoção.

"O principal driver de valorização do Bitcoin e de outras criptomoedas é justamente a adoção. Quanto mais os bancos, as pessoas e as empresas encontrarem nas criptomoedas um potencial de investimento, talvez não no ritmo de 2017, que talvez não tenha sido saudável, isso vai crescer e vai tomar corpo para o futuro"

 Confira a matéria completa aqui.

 

Leia também: Ronaldinho Gaúcho, garoto-propaganda de empresas suspeitas de pirâmide, tem 57 imóveis bloqueados pela Justiça

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias

Mais Lidas