Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Ninguém mais confia no Facebook, veja 3 plataformas de mídia social baseadas em blockchain para substituí-lo

Ninguém mais confia no Facebook, veja 3 plataformas de mídia social baseadas em blockchain para substituí-lo

blockchain facebook mídia social telegram steemit

O Facebook já não é considerada uma plataforma confiável pela maioria — se não todos — os usuários há muito tempo.  

Em abril deste ano, mais de 4.000 páginas de e-mails, webchats, apresentações, planilhas e reuniões do Facebook entre 2011 a 2015 vazaram. Os documentos continham informações sobre como a gigante das mídias sociais usava os dados dos usuários enquanto prometia publicamente proteger a privacidade deles. 

 

Contudo, o descaso com a privacidade dos usuários já não é novidade. Em 2014, o Facebook vendeu os dados pessoais de 87 milhões de usuários para a empresa de dados Cambridge Analytica, que desempenhou um papel importante na campanha presidencial de Donald Trump.

A segurança também não é uma prioridade para a mídia social, que armazena as senhas de seus usuários em um formato de texto simples e legível desde 2012, como declarou o próprio Facebook em março deste ano.

Agora, a empresa está buscando se inserir no mercado de criptomoedas, com seu projeto de stablecoin, a Libra, que está enfrentando diversos obstáculos com os reguladores dos Estados Unidos, especificamente por conta dos problemas citados acima.

Mas enquanto a plataforma de Mark Zuckerberg segue decepcionando seus usuários, há mídias sociais baseadas em blockchain que merecem atenção:

Steemit 

Steemit 

Lançada em 2016, a Steemit é uma das primeiras plataformas de mídia social baseadas em blockchain. Nesta plataforma, os usuários são recompensados com a criptomoeda STEEM por conteúdos considerados valiosos.

Atualmente, a moeda está sendo negociada por cerca de US$ 0,25, com uma capitalização de mercado superior a US$ 80 milhões. 

O site de blogs e mídias sociais descentralizado é construído na blockchain Steem e é uma das líderes no ramo.

TON 

TON 

Com mais de 200 milhões de usuários em todo o mundo, a plataforma de mensagens Telegram está prestes a lançar um ecossistema descentralizado baseado no blockchain da TON.

O lançamento deve ocorrer no terceiro trimestre de 2019 e atraiu investimentos de mais de US$ 1,7 bilhão em sua plataforma e no token GRAM.

Com diversas blockchains, uma rede para micropagamentos, armazenamento de dados distribuídos, sistema de identificação e muitos outros recursos, a TON tem o potencial de impulsionar seriamente a adoção em massa de criptomoedas, de acordo com especialistas.

Community

Community

Com o objetivo de criar comunidades autogovernadas, a Comunidade U ° é alimentada por uma blockchain de código aberto, chamada U °OS, que calcula algoritmicamente a influência de cada usuário para a rede com base em sua reputação. 

Para os desenvolvedores, as pessoas são conscientes o suficiente para interagir umas com as outras sem qualquer intervenção das corporações.

“Nós ouvimos muita insatisfação com o Facebook e outras grandes plataformas recentemente, mas as pessoas relutam em desistir enquanto seus amigos as usam. Gostaríamos de nos dirigir a essas pessoas: Não tenha medo de experimentar novos serviços on-line, não espere até que todos os usem. Basta começar a testá-los, dar sua opinião e contar ao mundo sobre eles.”

Leia também: Empresa acusada de pirâmide financeira muda de nome

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias

Mais Lidas