Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Deputado Federal membro da comissão que regulará Bitcoin é acusado de aplicar diversos golpes no Brasil e EUA

Deputado Federal membro da comissão que regulará Bitcoin é acusado de aplicar diversos golpes no Brasil e EUA

luis miranda deputado golpes pirâmide
Imagem: Reprodução/Rede Globo

Luis Miranda, deputado federal pelo partido DEM do Distrito Federal e membro da Comissão Especial que visa regular as criptomoedas no Brasil está enfrentando acusações de diversos tipos de golpes no Brasil e Estados Unidos.

No último domingo (8), uma reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, mostrou várias vítimas que foram enganadas pelo deputado.

 

Vítimas falam sobre os golpes

Vítimas falam sobre os golpes

“Raspei a poupança e coloquei tudo na mão dele. Me separei, perdi família. Tive que tirar meus filhos da escola”, disse um dos investidores.

Miranda, que antes de ser eleito como deputado prometeu que não aceitaria o salário do governo para dar exemplo aos demais, mas hoje recebe R$ 33.700 como deputado e mais R$ 111 mil de verba de gabinete, começou aplicando golpes no Brasil.

No entanto, os problemas começaram antes dele ser eleito, quandoo atual deputado vendia franquias da clínica de estética Fitcorpus, criada por ele em 2008. De acordo com as vítimas, Miranda ficava com todo o lucro, e quando a franquia fechou, os investidores não foram pagos.

Antes de deixar o Brasil, o deputado sofreu pelo menos 26 processos na Justiça. Ele então partiu para os Estados Unidos, onde fez a venda de cursos, de franquias e promessas de investimentos com altos lucros.

Miranda oferecia cursos online para seus seguidores nas redes sociais, e posteriormente passou a oferecer a muitos deles uma ‘sociedade’ “em supostos negócios nos Estados Unidos”, diz a reportagem.

Uma das vítimas contou que o deputado fazia parecer que suas promessas eram “uma coisa muito fácil, muito garantida”, afirmou. “É um estelionatário, um quadrilheiro”.

Em outro golpe, ele prometia lucros com a compra e reforma de veículos batidos em leilões, que seriam revendidos por um preço maior. Os sócios então teriam de enviar o dinheiro para ele e o lucros seria repartido meio a meio. Depois de investir US$ 60 mil (cerca de R$ 240 mil), uma das vítimas conta que não recebeu nada de lucro.

Em Miami, Luis Miranda criou um “grupo de investimento” chamado LX Holding. Por meio dele, o deputado convencia pessoas a investirem no negócio com a promessa de rendimentos maiores que os da poupança e do Tesouro direto, segundo a reportagem.

Entre as mentiras, havia a promessa de que quem investisse US$ 1 mil, teria US$ 150 mil após cinco anos, o que levou o empresário Antonalia a perder R$ 150 mil e ainda ser ameaçado pelo deputado:

“Ele queria me bater com um taco de beisebol que ele tinha no escritório", afirmou.

O negócio, que contava com pelo menos 280 investidores, ainda teve a planilha de lucros alterada pelo deputado no primeiro trimestre de 2018, de acordo com Francisco Martins, um ex-funcionário.

Segundo ele, pouco mais de 10 pessoas conseguiram resgatar o dinheiro. A maioria dos investidores saiu com um prejuízo muito acima dos R$ 100 mil.

Ao ser questionado pela reportagem, Luis Miranda disse que está pagando os investidores toda semana. “Às vezes, um a cada 15 dias”, disse ele.

“É lento, mas está pagando. Sabe qual é o problema das pessoas? Elas querem entrar em um negócio e só querem ganhar. Quando tem uma dificuldade, ninguém quer passar dificuldade”, afirmou.

Embora Miranda tenha negado as acusações, que somam uma dívida estimada em quase R$ 9 milhões com suas vítimas, ele terá de prestar esclarecimentos a seu partido.

Leia também: Homem que possui mais de US$ 11 milhões em Bitcoin pula de varanda para fugir de assaltante

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias

Mais Lidas