Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Black Mirror: Empresa brasileira anuncia uso da blockchain em robôs que podem ter a aparência de qualquer ser humano

Black Mirror: Empresa brasileira anuncia uso da blockchain em robôs que podem ter a aparência de qualquer ser humano

Por Andressa Pontes

blockchain-inteligenciaartificial-brasil

Parece tema de série como no episódio Be Right Back de Black Mirror, onde após perder seu companheiro, Martha adquire uma versão android do mesmo. Mas é real, com uso da blockhain a empresa brasileira Umbô em parceria com a Promobot anunciaram robôs customizados que podem ter qualquer aparência.  

Os robôs são da linha Android Robo-C e para interagir utilizarão tecnologia blockchain, que permite mais flexibilidade e que interajam entre si e com dispositivos de softwares diferentes.  Eles terão cerca de 600 expressões faciais, sendo que alguns poderão assumir tarefas mais complexas como de atendentes e outros poderão ser mais companheiros. 

 

Em seu blog o engenheiro Manuj Aggarwal explicou que: “o esquema de chaves em blockchain pode impulsionar a comunicação entre robôs, as chaves públicas podem ser compartilhadas entre robôs que desejam se comunicar.” 

“Portanto, na rede, qualquer robô pode enviar informações para um robô específico e apenas um robô que possua uma chave privada correspondente poderá ler a mensagem.”

Dessa maneira não há risco envolvido, pois a mensagem não pode ser descriptografada usando uma chave pública. “Além disso, evita o risco de descriptografia de informações por robôs de terceiros, mesmo que eles possam compartilhar o mesmo canal de comunicação”, explica. 

No vídeo a seguir apresentam o Robo – C,  junto ao  Aleksei Iuzhakov que foi o modelo para seu rosto. 

Aleksei Iuzhakov, Presidente do Conselho de Administração da Promobot declarou: 

"Estamos abrindo um enorme mercado em serviços, educação e entretenimento. Imagine uma réplica de Michael Jordan vendendo uniformes de basquete ou William Shakespeare lendo seus próprios textos em um museu? Podemos construir um modelo linguístico baseado nas frases populares de uma pessoa em particular - o robô se comunica e responde a perguntas analisando expressões frequentes do "original" e usando um certo contexto de conhecimento dessa pessoa", declarou.

Leia também: Governo Federal irá investir R$150 mil em startup de blockchain do Ceará

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias

Mais Lidas