Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Como o Lightning network do BTC poderia ser usado para enviar mensagens privadas e substituir o Whatsapp?

Como o Lightning network do BTC poderia ser usado para enviar mensagens privadas e substituir o Whatsapp?

lightning network bitcoin rede

A lightning network do Bitcoin pode ter um caso de uso além de pagamentos mais rápidos e escaláveis.

Na semana passada, o desenvolvedor do Lightning Labs, Joost Jager, revelou uma nova prova experimental do conceito: Whatsat, uma versão do Lightning que pode ser usada para enviar mensagens privadas.

Como o bitcoin, é resistente à censura. Mas, diferentemente dos aplicativos criptografados que transformam mensagens em texto ilegível para impedir que as mensagens sejam entendíveis, não existe uma entidade central para impedir que os usuários utilizem a rede.

Jager disse ao CoinDesk:

“O Lightning é uma rede ponto a ponto da qual qualquer um pode participar. Não existe uma entidade central que tenha o poder final de decidir sobre o que os usuários têm permissão para se comunicar. ”

As mensagens privadas são um tópico importante na era digital, pois é fácil para os maus intencionados interceptar mensagens que não são criptografadas.

“Gosto de comparar mensagens privadas com conversar com alguém pessoalmente. Podemos fazer isso sem pedir permissão – argumentou Jager. “É uma liberdade tão natural que mal percebemos o quanto é importante. Enquanto nós, humanos, continuamos a nos digitalizar cada dia mais, acho que faz sentido estender essa liberdade para o domínio digital. ”

O Whatsat é um projeto de paixão para Jager, não algo que ele está trabalhando para o Lightning Labs. O aplicativo está em um estágio inicial.

Sistema de mensagens acidentais

Sistema de mensagens acidentais

Jager disse que sempre foi possível adicionar dados extras aos pagamentos relâmpagos. Porém, uma alteração recente nas especificações do Lightning padronizou o funcionamento desse sistema de mensagens embutido, para que o software da rede Lightning permaneça compatível.

Existem outras tecnologias que podem ser usadas para descentralizar as mensagens, disse Jager, mas ele argumenta que existem algumas vantagens do Lightning network que outros aplicativos não possuem.

“Essa não é a única maneira de descentralizar, mas tem a vantagem de também ser uma rede de pagamento”, disse ele. “A execução de qualquer tipo de serviço centralizado ou descentralizado custa dinheiro e, com o lightning, é fácil pagar por isso por mensagem”.

É difícil para as plataformas de bate-papo e as redes sociais alcançarem “efeitos de rede”, nos quais eles se tornam exponencialmente mais úteis à medida que mais pessoas os usam.

“É uma questão de quantas redes [ponto a ponto] você deseja participar. Simplifica as coisas se você obtém os dois principais usos, pagamento e bate-papo, a partir de uma única rede”, disse Jager.

Conseguir que tantas pessoas participem desse projeto pode ser um desafio, argumentou Sjors Provoost, colaborador do Bitcoin Core. Ele sugeriu que alguém criasse “pontes” para aplicativos populares existentes, como WhatsApp ou Signal, para que os usuários não precisassem baixar um programa totalmente novo para participar do bate-papo.

“A rede ainda não está madura e ainda é preciso descobrir taxas realistas. Agora é difícil fazer uma estimativa de quais serão os custos reais da execução de um nó de roteamento no futuro ”, disse Jager.

De acordo com dados públicos sobre a rede, o pagamento do lightning network atualmente custa uma media de 0,0001 satoshis, um único satoshi (ou 100 milhões de milhões de bitcoins) atualmente está valendo uma fração de um centavo.

“Suponha que o usuário médio envie 30 mensagens por dia. Isso se reduz a cerca de 1 satoshi por mensagem com a taxa de câmbio atual do bitcoin. ”

Isso é cerca de um dólar por ano.

“Se a rede amadurecer para um sistema capaz de lidar de forma sustentável com pagamentos de 1 [satoshi], acho que um futuro de mensagens privadas sem permissão será muito popular”, disse Jager.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias

Mais Lidas