Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Dono da Opus diz que não tem dinheiro para pagar e clientes se desesperam: “Que um vagabundo bandido desses não saia impune”

Dono da Opus diz que não tem dinheiro para pagar e clientes se desesperam: “Que um vagabundo bandido desses não saia impune”

Foto: Guilherme Baptista/Reprodução

O dono da empresa Opus Investimento, Guilherme Baptista, admitiu que não possui mais dinheiro suficiente para realizar os pagamentos de todos os clientes, conforme reportou o Portal do Bitcoin

A empresa, sediada em Ijuí (RS), prometia um retorno de 30% sobre o capital investido.

Baptista afirmou que a quebra da Opus é uma falha dele, mas pediu um “voto de confiança” da rede para reerguer a empresa com os recursos que ainda restam. 

Em áudios disponibilizados pelo Portal do Bitcoin, Baptista fala para a liderança e demais investidores sobre a falta de capital. 

Segundo Baptista, há somente R$6 milhões em caixa para manter a empresa rodando, valor insuficiente para remunerar os cerca de 20 mil investidores da Opus. 

Em outra mensagem de áudio, Baptista pede desculpas e dá a entender que ele e outros líderes têm sido alvo de ameaças por parte de clientes insatisfeitos, contra ele e familiares.

“Aos associados Opus, mais uma vez presidente Guilherme com vocês. Primeiramente queria pedir desculpas pela situação que estamos vivendo (…). A responsabilidade é toda minha. Sei que temos dentro da Opus vários líderes que estão sendo até ameaçados. No intuito de tentar preservar as pessoas eu não passei nem para a liderança a situação complicada que estávamos vivendo. Eles não têm responsabilidade alguma”, declara Guilherme Baptista.

De acordo com Baptista, a situação “só vai piorar caso sofra qualquer tipo de impedimento”. 

Baptista pede um pouco de confiança na rede, para que ele e a liderança consiga desenvolver seu trabalho, e que “se as ameaças pararem, conseguimos dar a volta muito mais rápido e com muito mais tranquilidade”. 

No domingo (08), Baptista anunciou um lote de investimento em condições especiais, o último rendimento de 30% a 35%. Dois dias depois, declarou que a empresa não tinha recursos para realizar mais pagamentos. 

Investidores lesados pela Opus, que não receberam pagamentos, afirma “que um vagabundo bandido desses não saia impune”.

Os afiliados foram a público para relatar a situação e manifestar medidas que planejam tomar. 

De acordo o vídeo de Carlos Eduardo, publicado em 10 de dezembro, o Youtuber declara “Vamos organizar uma ação coletiva contra esse safado”.

Carlos Eduardo afirma que os investidores foram “roubados descaradamente, de uma maneira muito triste e muito chata”.

Em outro vídeo, publicado em 15 de dezembro, Carlos Eduardo propôs a Opus um acordo para ir à justiça com os credores. 

Baptista relata que a empresa possui meios para dar a volta, caso tenha condições de trabalhar. 

Em um áudio do Baptista voltado para o líder identificado como Diego, afirma que a nova estratégia comercial da Opus “está pronta para ser operacionalizada”. 

“O que não tenho a menor ideia é com relação à rede. Tenho certeza que essa rede atual toda se aniquila, a não ser que com a visão dos resultados que começarem a acontecer e que se revertem em pagamentos a elas, que voltem a acreditar”.

Baptista afirma a abertura de uma nova empresa registrada em Dubai, como parte desse plano para reerguer o negócio. 

A Opus Investimentos teve início em abril de 2019, com promessa de retorno de 30% em 30 dias para quem investir em esmeraldas, ouro ou diamantes. 

A empresa não tem autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para operar, algo indispensável para o mercado de criptomoedas. 

Leia também: ‘XRP não precisa existir, só serve para fazer dinheiro para a Ripple’, diz Peter Todd, ex-desenvolvedor do Bitcoin

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias