Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Mulher toma calote após aplicar R$ 1 milhão em empresa de criptomoedas em SP

Mulher toma calote após aplicar R$ 1 milhão em empresa de criptomoedas em SP

mulher-bitcoin-criptomoedas-calote-empresa-piramide-pagamento-saque-brasil-sp

Uma mulher, moradora de Santos-SP, levou um calote após aplicar R$ 1 milhão em uma empresa de investimentos em criptomoedas e bitcoin com promessas de lucro fácil.

A investidora foi encantada pelo negócio que oferecia rendimentos de 10% ao mês e decidiu aplicar a fortuna na B2WEX Intermediação e Serviços Digitais, uma das empresas que aparecem como réus da ação, conforme noticiou o portal BeInCrypto.

De acordo com o lucro prometido, que é muito acima do valor do mercado, a mulher que aplicou na empresa em 7 de agosto de 2019, deveria receber R$ 100.000 ao mês. No entanto, ela só recebeu os lucros no mês de setembro, ficando desde então com os saques suspensos.

A empresa que enfrenta problemas nos saques desde o final do ano passado, teria sido sustentada por outros negócios e sócios que fazem parte do mesmo grupo econômico, segundo a autora do processo.

Na ação, são listados como réus a  BWA Brasil Tecnologia, a BWA BR Serviços Digitais e a Mega Company Participações, assim como os sócios destes empreendimentos, aponta a matéria.

Nesta sexta-feira (17), no entanto, a Justiça de Santos decidiu não acatar o pedido da investidora de tutela cautelar de ativos financeiros e criptomoedas dos réus na ação.

O motivo é que a autora, até então, alegava “dilapidação de patrimônio” para conseguir o bloqueio dos bens, mas a Justiça apresentou que alguns dos acusados na ação compraram imóveis recentemente, contrariando a alegação da cliente da B2WEX.

O grupo empresarial BWA citado na ação, oferecia o mesmo serviço para os brasileiros, sem autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para atuar no país, e enfrenta processos que somam mais de R$ 30 milhões só na Justiça de São Paulo, depois de parar de pagar os clientes e os aluguéis de sua sede.

Recentemente, a BWA, fundada por Paulo Bilibio declarou que deve lançar uma nova plataforma e só pagará os clientes em junho de 2020.

Leia também: Se a história se repetir, halving elevará o preço do Bitcoin para US$ 400.000

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias