Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

2020 pode ser o ano das aquisições de fintech e blockchain

2020 pode ser o ano das aquisições de fintech e blockchain

govero-brasil-fintech-2020-blockchain-tecnologia-mercado financeiro

A Visa, segunda maior empresa de pagamentos com cartões do mundo, assinou um acordo de US$5,3 bilhões para adquirir a Plaid, uma fintech de serviços financeiros.

O Plaid se tornou um destaque entre as empresas de serviços financeiros, pois seus clientes podiam interagir e gastar com segurança em vários aplicativos, incluindo a exchange de criptomoedas Coinbase.

A empresa ganhou uma reputação como uma das principais fintechs, já que a Plaid estava avaliada em US$2,65 bilhões em 2018, após uma rodada de financiamento de US$250 milhões.

De acordo com a Visa, mais de um quarto das pessoas dos EUA utilizaram a Plaid, enquanto os aplicativos de fintech agora são usados por mais de seis quartos da população mundial. 

A Visa estava disposta a pagar o dobro de sua última avaliação privada para colocar as mãos na empresa, vendendo mais de US$4,9 bilhões em dinheiro e cerca de US$400 milhões e patrimônio como parte do acordo.

“Estamos incrivelmente animados para anunciar que a Plaid está se juntando à visa! Juntos, vamos expandir nossos produtos para desenvolvedores e conectar consumidores com os serviços da fintech que está tornando o dinheiro mais fácil para todos”, diz o comunicado.

Em seu recente lançamento, a Visa destacou a natureza estratégica da aquisição, observando que a Plaid será fundamental para ajudar a Visa a expandir os novos negócios. 

Segundo o Al Kelly, CEO e presidente da companhia, “a aquisição, combinada com nossos muitos esforços em tecnologia já em andamento, posicionará a Visa para oferecer ainda mais valor para desenvolvedores, instituições financeiras e consumidores”. 

O PayPal é outra empresa de pagamentos que recentemente aumentou seus esforços de aquisição de fintech, finalizando a compra da plataforma de compras e recompensas Honey. 

A empresa está procurando competir melhor com os aplicativos fintech, incluindo o Cash App habilitado para Bitcoin. 

Uma subsidiária da D.Phone, um dos maiores varejistas de celulares da China, adquiriu uma participação na Monsoon Blockchain. O acordo foi assinado em janeiro de 2020, o varejista comprou uma participação minoritária na empresa blockchain, que oferece uma rede de armazenamento descentralizada baseada no blockchain Ethereum.

O fundador da Quantum Economis, Matry Greenspan, afirmou que “o setor financeiro desfruta de um fosso confortável há séculos, mas graças à invenção da Internet, a democratização das finanças finalmente está ocorrendo”.

Se essas tendências continuarem em 2020, as linhas entre finanças, inovadores da fintech e startups de blockchain poderão ficar cada vez maiores.

Leia também: Ripple quer conectar XRP e Ethereum

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias