Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Clientes da Trader Group serão pagos com os valores apreendidos, diz o TRF

Clientes da Trader Group serão pagos com os valores apreendidos, diz o TRF

Segundo o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2),  os valores apreendidos pela Polícia Federal da suposta pirâmide financeira, Trader Group, devem ser usados para ressarcir os clientes, conforme reportou o Cointelegraph.

A empresa e seus sócios foram alvo da investigação da Polícia Federal, operação Madoff, realizada em maio de 2019. 

A operação cumpriu no total cinco mandados de busca e apreensão, com o objetivo de investigar atividades ilegais exercidas pela Trade Group, empresa que ofertava investimentos com criptomoedas no Espírito Santo.

A Justiça Federal determinou a suspensão das atividades da empresa, o bloqueio de ativos, como contas bancárias, carros, imóveis e a remoção de páginas na internet. 

Segundo a decisão, o juiz também determinou o bloqueio das criptomoedas existentes em exchanges. Cerca de 4 mil Bitcoins foram apreendidos pela Polícia Federa. 

Os valores apreendidos deverão ser usados para ressarcir os clientes da Trade Group que entraram com ação judicial contra a empresa.

O TRF determinou que seja criada uma lista com a ordem de preferência para os pagamentos dos valores investidos na empresa. A lista poderá ser impugnada ou retificada de acordo com pedidos feitos pelos advogados das partes caso discordem de algo apresentado. 

“Findando o lapso sem impugnações, ou dirimidas aquelas eventualmente apresentadas, os valores serão encaminhados aos Juízos solicitantes, até o esgotamento das forças dos ativos bancários acima indicados de titularidade de WESLEY, TGEX e TRADERGROUP”, diz o TRF. 

Entretanto, as criptomoedas apreendidas não serão usadas para pagar os clientes, somente os valores apreendidos em conta bancárias, sendo de R$6.157.604,10. Os 4 mil bitcoins apreendidos serão leiloados. 

“R$ 6.157.604,10 apreendidos em conta mantida junto ao Banco Bradesco (evento 80, BACENJUD1, ID da transferência 072019000007452928). Desse montante, contudo, já foram decotados os valores devolvidos aos investidores que efetivaram seus aportes a partir do dia 15/05/2019, conforme decididos nos autos respectivos, bem como o valor do crédito preferencial transferido à Justiça do Trabalho (decisão do evento 421)”, declara o TRF.

Leia também: Clientes da Atlas Quantum perdem tudo após robô liquidar os Bitcoins com a queda no preço

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias