Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Líderes de pirâmide com criptomoeda de R$3,5 bilhões querem ser libertados da prisão devido ao coronavírus

Líderes de pirâmide com criptomoeda de R$3,5 bilhões querem ser libertados da prisão devido ao coronavírus

Os líderes da suposta pirâmide financeira de criptomoedas, BitClub Network, solicitaram que o Tribunal Federal de Nova Jersey conceda sua liberdade da prisão por preocupações com o coronavírus.

Matthew Goettsche e Jobadiah Weeks, líderes da suposta pirâmide financeira, apresentaram pedidos separados solicitando a libertação da antiga cadeia de Essex County, conforme reportou o Cointelegraph.

O advogado de Goettsche, Rodney Villazor, afirmou que “não se trata de ‘se’, mas de quando o mecanismo de correções hospeda um surto de coronavírus”. 

O advogado alegou que será impossível impedir a disseminação do vírus na prisão e que o risco da saúde e segurança de Goettsche aumenta a cada dia. 

Segundo o pedido, Rodney Villazar citou as descobertas do Escritório do Inspetor-Geral do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, que em 2019 estava informado que a instalação apresenta “ameaças significativas de saúde e segurança”. 

“Dados os riscos observados de doenças por meio de serviços de alimentação inadequados e segurança ambiental na Instalação Correcional do Condado de Essex, um surto rápido de COVID-19 na instalação é praticamente inevitável”, afirma o pedido solicitado pelo advogado.

Os dois responsáveis pela BitClub Network, são acusados de operar um esquema ponzi de mais de R$3,5 bilhões entre 2014 e dezembro de 2019. 

O grupo solicitou fundos de investidores em troca de supostas ações em suas operações de mineração de criptomoedas, oferecendo bônus de referência a quem recrutar novos membros. 

Segundo a promotoria, o grupo foi acusado de distribuir documentação falsa e enganosa aos investidores. 

Em um vídeo, um conspirador defendeu que a Rede BitClub era “a empresa mais transparente da história do mundo que eu já vi”. Em outro vídeo, Joseph Frank Abel, que vendia e conspirava a favor da empresa, garantiu aos investidores que a Rede BitClub era “grande demais para falir”.

Matthew Brent Goettsche, 37, de Lafayette, Colorado, e Jobadiah Sinclair Weeks, 38, de Arvada, Colorado, são acusados ​​de conspiração para cometer fraudes eletrônicas, e Joseph Frank Abel, 49, de Camarillo, Califórnia, foi acusado por conspiração por oferecer e vender valores mobiliários não registrados.

Leia também: Como ganhar bitcoin fazendo home office

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias