Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Bitcoin Banco quer pagar os clientes em parcelas de 84 vezes

Bitcoin Banco quer pagar os clientes em parcelas de 84 vezes

bitcoin-banco-claudio-oliveira-criptomoedas-exchange-brasil-piramide

De acordo com o plano de recuperação do Grupo Bitcoin Banco (GBB), apresentado na segunda-feira (30), o CEO Cláudio Oliveira pretende pagar os clientes em parcelas de até 84 vezes.

Os usuários das exchanges NegocieCoins e Tem BTC, que estão sem receber desde meados de 2019, receberão o equivalente a 0,1 BTC em até 90 dias (para pessoas físicas). No caso das empresas, serão 0,33 BTC em até 30 dias após a homologação do processamento da recuperação judicial, reportou o Portal do Bitcoin.

Contudo, os credores – tanto pessoas físicas quanto pequenas e microempresas – que sofreram bloqueio de suas criptomoedas nas exchanges e tiverem mais que isso para receber, precisarão esperar ainda pelo menos um ano, e serão pagos em 84 parcelas. Confira:

“Determinado o saldo do credor, se houver, será pago em até 84 parcelas mensais após a data da homologação judicial do PRJ. As parcelas de 1 a 24 serão correspondentes a 20% do saldo remanescente e as parcelas de 25 a 84 serão correspondentes a 80% do saldo remanescente”.

Conforme o texto, para as pessoas físicas, esses créditos serão corrigidos “pela TR – Taxa Referencial desde a data de homologação judicial do PRJ, acrescido de 1% de juros ao ano”.

Pequenas e microempresas receberão apenas 10%

No caso das pequenas e microempresas, essas precisarão abrir mão de 90% do valor que deveriam receber, aponta a matéria.

Além disso, o montante será corrigido apenas pela TR, sem qualquer outro acréscimo mencionado.

O GBB diz sobre os créditos tributários, que “as recuperandas poderão buscar obter a concessão, seja por via judicial ou administrativa, de parcelamento de suas dívidas tributárias”.

Segundo o Grupo, as medidas têm como objetivo o seu reerguimento e de continuar as negociações de criptomoedas em suas plataformas, além da manutenção dos empregos.

Créditos trabalhistas

No caso de créditos trabalhistas, estes serão mitigados, aponta o texto. Embora esses credores tenham preferência na ordem de receber, o plano de recuperação do GBB afirma que “a quantia de R$1.100,00 será paga linearmente a cada credor trabalhista, limitado ao valor do respectivo crédito, até o 30º dia após a data de homologação do PRJ (processamento da Recuperação Judicial)”.

Caso o saldo seja maior que isso, a pessoa precisará esperar pelo menos um ano, e poderá receber apenas o “montante de 150 salários mínimos”. O restante será dividido em outras parcelas, e o credor corre o risco de receber apenas os 10%, assim como pequenas e microempresas.

Leia também: Dono da A2 Trader diz que deve R$ 7 milhões aos clientes e joga a culpa na Urpay

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias