Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Elon Musk vende mansão de US$29 milhões para bilionário investidor de blockchain

Elon Musk vende mansão de US$29 milhões para bilionário investidor de blockchain

Bandidos roubam R$ 700 mil em bitcoin com live falsa do Elon Musk no Youtube
Foto: Frederic J. Brown/AFP

Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, vendeu uma de suas mansões de US$29 milhões em Los Angeles para William Ding (Ding Lei), o CEO da NetEase e consultor da ArcBlock. 

No Twitter, Elon Musk comentou que venderia suas casas e reduziria as posses físicas e listou cinco mansões para vender, conforme reportou o Decrypt.

“Vendo quase todas as posses físicas. Não terá casa.”

A primeira venda foi a mansão de Los Angeles no valor de US$29 milhões, para Ding Lei, CEO da NetEase. Segundo a Variety, esse valor é menor do que o preço pedido de US$30 milhões. 

A NetEase foi fundada em 1997 e fornece uma variedade de serviços de internet para usuários chineses, incluindo e-mail e e-commerce. 

A empresa também possui seus próprios videogames, além de versões localizadas de sucessos internacionais, como Overwatch, da Blizzard, e World of Warcraft.

O CEO Ding Lei, já foi o homem mais rico da China continental, tem um patrimônio líquido estimado em US$26,5 bilhões. 

Ding foi um dos primeiros a investir na plataforma blockchain ArcBlock, e em janeiro de 2018, foi nomeado consultor do projeto, uma posição que ainda ocupa. 

Especula-se que Ding comprou cerca de 96.000 Bitcoin a um custo de US$1 bilhão, mas ele negou. 

De acordo com o 8BTC, Ding afirmou através do WeChat em fevereiro de 2018 que nunca possuía bitcoin. 

Contudo, dada a narrativa anti-criptomoeda adotada pela mídia estatal chinesa e a proibição da China de vendas de bitcoin no país. Não é surpresa que Ding tenha rapidamente encerrado as especulações da compra de bitcoin. 

Por mais que o país seja contra as criptomoedas, a China é muito positiva a tecnologia blockchain. A NetEase lançou jogos baseados em blockchain em 2019 e lançou três aplicativos blockchain em 2018. 

Entretanto, os jogos e aplicativos da NetEase baseados na tecnologia blockchain, foram encerrados no final de 2019.  

“O encerramento das experiências de blockchain da NetEase revelou uma verdade embaraçosa sobre os aplicativos de blockchain na China: apesar de terem vindo de gigantes da Internet bem-sucedidos, com recursos abundantes e o maior mercado de massa do mundo, um aplicativo matador de consumidores nunca se materializou”, de acordo com Shuyao Kong em dezembro.

Leia também: ROI do bitcoin supera em 70x cinco índices tradicionais desde 2015

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias