Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

BitClub: Programador se declara culpado em caso de pirâmide com bitcoin que roubou R$3,8 bilhões

BitClub: Programador se declara culpado em caso de pirâmide com bitcoin que roubou R$3,8 bilhões

BitClub-piramide-bitcoin-criptomoedas-mineração

O programador Silviu Catalin Balaci, 35, se declarou culpado na quinta-feira (09), pelo envolvimento no esquema fraudulento da BitClub Network, uma pirâmide com bitcoin que gerou um prejuízo de, pelo menos, R$3,8 bilhões às vítimas enganadas.

 

Após ser preso na Alemanha, Balaci, que é apontado como um dos criadores da BitClub, confessou a culpa para o tribunal dos EUA por meio de videoconferência, segundo informações do advogado dos EUA, Craig Carpenito.


O programador de nacionalidade romana é acusado de conspiração de objeto duplo para cometer fraude eletrônica e oferecer e vender valores mobiliários não registrados, segundo a Finance Magnates.

Outros líderes do negócio que prometia rendimentos em mineração de criptomoedas também foram indiciados.

Conforme consta no arquivo oficial, a BitClub foi um esquema fraudulento que operou entre abril de 2014 a dezembro de 2019, solicitando dinheiro de investidores em troca de ações de supostos pools de mineração de criptomoedas.

Assim como outras centenas de pirâmides financeiras reportadas aqui no Criptonizando, uma das características dessa empresa incluía o pagamento de bonificações para investidores que recrutassem novos membros para manter esquema funcionando.

O caso ganhou notoriedade no ano passado, quando as autoridades americanas prenderam os mentores Matthew Brent Goettsche, Jobadiah Sinclair Weeks e Joseph Frank Abel — todos residentes nos EUA.

De acordo com o anúncio oficial, Balaci atuou como programador na BitClub, onde ajudou Goettsche e Russ Albert Medlin a criar e operar o esquema.

Medlin foi preso na Indonésia, no ano passado, por suspeitas de pedofilia e já tinha passagens pelo crime em 2006 e 2008 nos EUA.

Investidores vistos como ‘ovelhas burras’

De acordo com o Departamento de Justiça dos EUA, Balaci e Goettsche decidiram que o público-alvo da BitClub seria investidores “burros”, aos quais os líderes se referiam como “ovelhas”.

O plano era construir todo o modelo da pirâmide “nas costas de idiotas”, segundo eles, observou a Justiça.

Aos investidores, eram oferecidos três diferentes pools de mineração de Bitcoin. Contudo, Balaci admitiu que os operadores nunca mantinham três operações de mineração de separação. 

E o pior: os números exibidos como ganhos de mineração de bitcoin foram alterados pelo programador para fazer parecer que a BitClub estava ganhando mais do que realmente estava sendo minerado.

Balaci agora está olhando para um tempo máximo de prisão de cinco anos e uma multa de US $ 250.000, ou duas vezes o ganho pecuniário para o réu ou a perda para as vítimas, informou o Finance Magnates.

Leia também: Segundo maior banco dos EUA confirma parceria com a Ripple

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias