Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Coinbase revela quantos usuários possui e CEO explica porquê a Monero ainda não foi listada

Coinbase revela quantos usuários possui e CEO explica porquê a Monero ainda não foi listada

coinbase-exchange-criptomoedas-monero-xmr-clientes-usuários-listagem-ceo-amrstrong-relatório

A popular exchange Coinbase revelou a quantidade de usuários que possui e seu CEO, Brian Armstrong, explicou porquê a Monero (XMR) ainda não foi listada.

Em um novo relatório institucional referente ao primeiro semestre de 2020, a corretora sediada em São Francisco, nos EUA, revelou que possui mais de 35 milhões de usuários em mais de 100 países ao redor do mundo.

Com esse marco, que inclui clientes institucionais e de varejo, a Coinbase se torna a maior Exchange regulamentada do mundo.

E de acordo com o CEO da empresa que já cresceu 5 milhões nos últimos 10 meses, a pressão regulatória tem entrado no caminho de uma possível listagem da Monero (XMR).

Armstrong revelou a Peter McCormack durante uma participação no podcast ‘What Bitcon Did’, na semana passada:

“Pessoalmente, eu gostaria de listá-la”, disse o CEO da Coinbase sobre a Monero, sugerindo que as autoridades regulatórias dos EUA estão desconfortáveis com moedas focadas em privacidade.

“Muito disso são conversas nos bastidores, onde os reguladores estão dizendo: ‘Não achamos que você deva fazer isso’”, disse Armstrong. “E então temos a conversa: ‘Bem, você está nos dizendo que não gosta, ou está nos dizendo que vai nos processar se o fizermos?'”

Entrar numa luta como essa pode sair caro, o Facebook sabe bem disso. Segundo Armstrong, “faz parte dos negócios”, mas “é preciso escolher suas batalhas”.

Visando a saúde da empresa, o CEO afirma que a Coinbase escolheu “uma abordagem um pouco mais conservadora” por enquanto.

“Estamos jogando a longo prazo aqui”, afirmou Armstrong, que acredita que os reguladores se tornarão mais confortáveis com as moedas focadas em privacidade ao longo do tempo, da mesma forma que fizeram com o Bitcoin.

Autoridades temem o anonimato

Conforme noticiou o Criptonizando em abril deste ano, o foco em privacidade, atributo principal da 16° maior moeda por capitalização de mercado, segundo o CoinMarketCap, tem sido um forte motivo para a retirada da XMR de exchanges ao redor do mundo.

Isso acontece porque autoridades governamentais temem o nível de anonimato oferecido pelo criptoativo – funcionalidade muito apreciada pelos usuários por este mesmo motivo.

Leia também: Tribunal federal dos EUA reconhece Bitcoin como dinheiro

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias