Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Adolescente de 17 anos é preso como mentor do ataque massivo ao Twitter para roubar bitcoin

Adolescente de 17 anos é preso como mentor do ataque massivo ao Twitter para roubar bitcoin

bitcoin-twitter-hack-clark-kirk-responsável-mentor-idealizador-ataque-btc-hacker
Foto: Graham Ivan Clark, apontado como mentor do ataque ao Twitter. Imagem: Reprodução

As autoridades dos Estados Unidos prenderam Graham Ivan Clark, um adolescente de 17 anos acusado de idealizar o ataque massivo ao Twitter para roubar bitcoin. As informações são do New York Times.

“Esse não era um jovem comum de 17 anos”, disse Andrew Warren, advogado do estado da Flórida que lida com o caso que chamou a atenção mundial ao ver contas de celebridades no Twitter publicarem a mesma mensagem estranha: “envie Bitcoin e te enviarei de volta o dobro do seu dinheiro”. 

Elon Musk, Bill Gates, Kanye West, Joseph R. Biden Jr, o ex-presidente dos EUA, Barack Obama e outras dezenas de famosos tiveram suas contas invadidas no golpe em 15 de julho que enganou diversos usuários na rede social.

A prisão de Clark foi efetuada nesta sexta-feira, 31 de julho, no apartamento dele em Tampa, na Flórida, onde o adolescente recém formado no colegial morava sozinho.

De acordo com o NYTimes, os documentos divulgados na sexta-feira não fornecem a verdadeira identidade de ‘Kirk’, apontado como a figura central no ataque, mas sugerem que se trata de Clark.

O anúncio surpreendeu a todos que certamente acreditavam ser um trabalho de profissionais na área.

O jovem agora enfrenta 30 acusações criminais no hack, incluindo fraude, e está sendo acusado como adulto. Contudo, devido a sua idade, muitos detalhes do caso ficarão em sigilo.

Em adição, duas pessoas foram acusadas de ajudá-lo, são elas: Mason John Sheppard, 19, do Reino Unido, também conhecido como “Chaewon”; e Nima Fazeli, 22, de Orlando, Flórida, também conhecido como “Rolex”, informou o Departamento de Justiça na sexta-feira.

O ataque deixou rastros

De acordo com as denúncias, o ataque ao Twitter consistiu em uma combinação de violações técnicas e engenharia social.

Funcionários do Twitter foram atacados e tiveram suas credenciais roubadas a fim de obter acesso a um sistema interno que permitia aos hackers redefinir as senhas da maioria dos usuários na rede social.

Contudo, eles deixaram pistas sobre suas identidades reais e seus erros permitiram que agentes federais os localizasse rapidamente, menos de uma semana após o incidente.

O golpe comprometeu mais de 130 contas no Twitter e conseguiu mais de 400 transferências em Bitcoin, arrecadando cerca de US$ 180.000, segundo estimativa do NYTimes.

O caso está sendo investigado pela Divisão de São Francisco do FBI, com assistência da Unidade de Cyber ​​de Investigação Criminal do IRS; o Serviço Secreto dos EUA, São Francisco e Sede; o Gabinete do Xerife do Condado de Santa Clara e sua força-tarefa REACT e o Departamento de Polícia da Flórida.

Para especialistas em segurança, no entanto, a idade dos criminosos não surpreendeu:

“Esta atividade é viciante de certa forma, é uma emoção”, afirma Allison Nixon diretora de pesquisa da empresa de segurança Unit 221B. “Invadir empresas gigantes e roubar quantias ridículas de dinheiro é uma grande emoção para elas.”

Em abril desse ano, antes da invasão no Twitter, o Serviço Secreto apreendeu mais de US $ 700.000 em Bitcoin do adolescente de 17 anos, mas não foi revelado o motivo.

Leia também: Chainlink fecha parceria com o governo para criar nova loteria nos EUA

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias