Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

"Vamos tocar a vida", diz Bolsonaro sobre 100 mil mortes por COVID-19 no Brasil

"Vamos tocar a vida", diz Bolsonaro sobre 100 mil mortes por COVID-19 no Brasil

"Vamos tocar a vida", diz Bolsonaro sobre 100 mil mortes por COVID-19 no Brasil
Imagem Reprodução/Exame

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, comentou sobre as 100 mil mortes por COVID-19 no Brasil, disse que é preciso “tocar a vida”. 

De acordo com a Folha de São Paulo, o presidente aconselhou que se busque uma maneira de “se safar” da doença. 

“A gente lamenta todas as mortes. Já está chegando ao número de 100 mil, talvez hoje… [Pazuello diz que será ainda nesta semana]. Vamos tocar a vida. Tocar a vida e buscar uma maneria de se safar deste problema”, disse o presidente da República em sua live semanal ao lado do ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello. 

O Brasil registrou mais de 1.226 novas mortes pela doença, nesta quinta-feira (06), segundo dados do consórcio de veículos de imprensa. 

Na live, Bolsonaro voltou a defender o uso da hidroxicloroquina, medicamento que não possui comprovação cientifica para o tratamento do novo coronavírus.

Em cerimônia no Palácio do Planalto, Bolsonaro disse que está com a consciência tranquila e que fez “o possível e o impossível” para salvar vidas.

Contudo, Henrique Meirelles, secretário da Fazendo e do Planejamento do Estado de São Paulo, criticou a postura do atual presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia da COVID-19, e disse que “primeiro, preservar vidas. Depois, a economia”. 

Bolsonaro segue criticando prefeitos e governadores que assinaram o decreto para fechar o comércio em suas localidades como maneira de conter a disseminação da COVID-19. 

Plano de Guedes para aceitar nova CPMF inclui diminuir FGTS dos trabalhadores

Recentemente, o presidente deu aval para Paulo Guedes, Ministro da Economia, sobre a nova CPMF. 

Entretanto, segundo Jair Bolsonaro, não haverá tributação “se o povo não quiser”, e que “vai ouvir o povo” sobre a nova CPMF, o imposto sobre as transações digitais, inclusive sobre as criptomoedas. 

O plano de Guedes para tentar diminuir as resistências no Congresso e aprovar a nova CPMF inclui diminuir Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) dos trabalhadores. 

A ideia do Ministro da Economia, inclui reduzir à metade o peso efetivo da tributação que as empresas pagam sobre os salários dos funcionários. 

Atualmente, as empresas pagam em média 20% sobre os salários como contribuição à Previdência. A proposta é reduzir esse peso de encargos para 10%, conforme reportou a Economia Uol.

A contribuição das empresas ao INSS do trabalhador que ganha até um salário mínio será isenta para o ‘patrão’, ao custo de R$25 bilhões por ano para os cofres da União.

Leia também: Segundo maior banco dos EUA confirma parceria com a Ripple

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias