Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Vídeo: Vítima de pirâmide tenta cobrar dívida e termina baleada pelo dono do esquema

Vídeo: Vítima de pirâmide tenta cobrar dívida e termina baleada pelo dono do esquema

piramide-tiro-baleado-vítima-golpe-orion-partner-

Depois de cair em um golpe de pirâmide financeira, um homem foi até a casa do chefe do esquema para tirar satisfações e acabou levando um tiro na manhã de quarta-feira (16) em Itamonte, no sul de Minas Gerais. 

A vítima, segundo a Polícia Militar, é um morador de São Paulo, de 42 anos, que se afundou em dívidas após cair no golpe comandado por Fabrício Ramos, acusado de ser o criador da suposta pirâmide Orion Partner, conforme reportou o Livecoins. 

Ramos já estava sendo investigado pelas autoridades por ter lesado várias pessoas com o esquema. Ele baleou a vítima que estava acompanhada do filho de 8 anos, que filmou o momento. 

À polícia, a vítima relatou ter passado por diversos problemas financeiros após investir no esquema, chegando a perder a própria casa. Por isso, decidiu acampar na frente da casa de Ramos até conseguir discutir sobre o assunto, apontou o jornal Hoje em Dia. 

Na manhã de ontem (16), a mãe do suspeito de estelionato saiu da casa com um cabo de vassoura em mãos, ameaçando o homem e a criança. 

Quando a discussão se intensificou, o criador da Orion teria saído até o portão e atirado contra a vítima. Veja o momento filmado pela criança:

O homem foi atingido no ombro, levado ao hospital e não corre risco de morte. 

O suspeito fugiu logo após o crime, e compareceu à delegacia da cidade durante a tarde com o advogado. Ele entregou a arma do crime, mas não ficou preso. 

Enquanto isso, o Conselho Tutelar foi acionado para cuidar do filho da vítima, e ainda registrou um boletim de ocorrência contra a mãe do suspeito, por ter ameaçado a criança com o pedaço de madeira. 

Orion Partner 

O esquema se promovia como a “única comunidade financeira do mundo com a tecnologia blockchain”, de acordo com seu blog, além de afirmar realizar transações com Bitcoin (BTC) e pelo sistema de pagamentos URPay, usado pela Unick Forex, pirâmide financeira que movimentou cerca de R$ 28 bilhões no Brasil.

Na apresentação, dizia se tratar de “uma grande comunidade de pessoas doam dinheiro uns aos outros”, no mesmo modelo do popular Giro Solidário. 

Enquanto isso, no ReclameAqui, clientes do esquema já registravam queixas desde o ano passado. 

A prática de pirâmide financeira é crime desde 1951, e se caracteriza pelo enriquecimento de um pequeno número de pessoas através do recrutamento de vários participantes, que precisam aplicar dinheiro no esquema. 

Leia também: Em 1 hora, mineradores de Ethereum ganham quase US$1 milhão em taxas

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias