Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Banco Central permite o uso da tecnologia blockchain no mercado de câmbio

Banco Central permite o uso da tecnologia blockchain no mercado de câmbio

Privacidade de hospital movido a blockchain na China é foco de reclamação dos funcionários

O Banco Central do Brasil aprovou, nessa semana, o uso da tecnologia blockchain no mercado de câmbio. A mudança se deu através de uma alteração na regulamentação do setor. 

Através da Resolução BCB n° 16 de 17 de setembro de 2020, a entidade monetária alterou a Circular nº 3.691. 

O objetivo foi “aprimorar dispositivos sobre a assinatura eletrônica de contratos de câmbio e sobre a entrega e o recebimento dos reais em aquisições de bens e serviços por meio de empresa facilitadora de pagamentos internacionais” 

Com a modificação, a blockchain passa a ser um meio legal de assinatura eletrônica em contratos cambiais entre as partes, reportou o Cointelegraph. 

Isso porque o Banco Central deixa claro no documento que os meios de coleta da manifestação das partes e os meios de comprovação de autoria e integridade do documento eletrônico podem ser “livremente estabelecidos” entre a instituição autorizada e o cliente. 

De acordo com Otávio Damaso, diretor de Regulação do BC, a iniciativa pretende modernizar a legislação cambial. 

“As mudanças estão alinhadas com o princípio do PL 5387/2019, que visa a modernizar a legislação cambial e contribuem para estimular maior competitividade no segmento de pagamentos internacionais.” 

Segundo a entidade monetária, a regulamentação foi aperfeiçoada para permitir usar soluções como a gravação de imagem ou de voz para a assinatura dos contratos de câmbio, tendo como objetivo aumentar a eficiência no curso de operações no setor. 

Também passa a ser permitido o registro de sinalização gráfica de concordância e o envio ou recebimento de e-mail. Contudo, o Banco Central alerta: 

“Continua sendo de responsabilidade exclusiva da instituição autorizada assegurar que o referido meio de comprovação: (i) estabeleça vínculo inequívoco entre as partes e as informações constantes do documento eletrônico; e (ii) confira segurança jurídica ao contrato de câmbio.”

Leia também: Em 48 horas, plataforma de trading descentralizada cresce 230% após a Paxful sair da Venezuela

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias