Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Banco Central da Austrália inicia parcerias para criar um CBDC

Banco Central da Austrália inicia parcerias para criar um CBDC

Banco Central da Austrália inicia parcerias para criar um CBDC

De acordo com o comunicado emitido pelo Banco Central da Austrália (RBA), a entidade iniciou parcerias para desenvolver um CBDC, moeda digital emitida pelo Banco Central. 

O RBA fará parceria com o Commonwealth Bank, National Australia Bank, a empresa de serviços financeiros Perpetual e a empresa de software ConsenSys, em um projeto para explorar o uso potencial de um CBDC

Conforme reportou o Cryptonomist, os esforços irão produzir, até o final do ano, um PoC (Proof of Concept), para a criação de um ativo tokenziado, que será utilizado no mercado em que todas as entidades vão operar. 

Esta PoC deve permitir a movimentação de fundos e outras operações, como empréstimos. O CBDC australiano contará com uma plataforma DLT que é baseada na blockchain Ethereum de forma centralizada.

“Com este projeto, pretendemos explorar as implicações de um CBDC para a eficiência, gestão de risco e inovação em transações do mercado financeiro de atacado”, declarou a governadora assistente do Banco da Reserva da Austrália, Michele Bullock.

Michele continua dizendo que “embora o caso para o uso de um CBDC nesses mercados permaneça uma questão em aberto, temos o prazer de colaborar com parceiros da indústria para explorar se há um papel futuro para um CBDC de atacado no sistema de pagamentos australiano”.

A mudança faz parte de uma reviravolta em curso para o RBA no que diz respeito à política CBDC.

O projeto será desenvolvido no final de 2020 e lançado no próximo ano, de forma a permitir todos os testes necessários para compreender o funcionamento e os reais benefícios de um sistema.

Como alternativa, o banco apontou o sucesso da Nova Plataforma de Pagamentos em tempo real e eficiente do país.

Segundo o Banco Central, as cédulas fiduciárias estarão disponíveis “enquanto os australianos quiserem continuar a usá-las”.

Este não é o primeiro banco a aderir ao projeto ConsenSys. Na semana passada a Société Générale francesa também anunciou que escolheu esta mesma empresa para criar um CBDC a ser lançado no próximo ano.

Parece que no momento a ConsenSys está bem posicionada para ser a entidade por trás da maioria dos CBDCs e que 2021 será o ano das moedas digitais do banco central, também porque parece que a China implantará seu yuan digital, com uma carteira para administrar dentro dos smartphones Huawei.

Leia também: Finanças descentralizadas: Os prós e os contras do DeFi

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias