Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Bielorrússia terá mineração de Bitcoin com energia nuclear em breve

Bielorrússia terá mineração de Bitcoin com energia nuclear em breve

bitcoin mineração

O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, mostrou grande interesse na revolução financeira das criptomoedas, e afirmou que permitirá que fazendas de mineração de Bitcoin se instalem no país, informou a mídia local. 

Ele declarou que a energia nuclear excedente será utilizada para a atividade e disse que este é um novo capítulo na história do país.

“Vocês queriam criptomoedas, trades, mineração e todo o resto. Vocês queriam montar as fazendas de mineração… Juntos vamos por este caminho”, disse Lukashenko aos empresários da Bielorrússia. 

A declaração aconteceu durante uma reunião com representantes de TI no High-Tech Park, em Minsk, e indica a intenção do país de superar a China, se tornando um centro de mineração de Bitcoin.

Mineração de Bitcoin com energia nuclear

É preciso usar grande poder de processamento e muita energia elétrica para minerar Bitcoin, o que torna a atividade cara. Isso acontece porque cada vez mais energia é necessária para manter a rede segura — o que só é possível graças ao algoritmo de prova de trabalho (PoW). 

A proposta do presidente Alexander Lukashenko é de utilizar a energia que vai sobrar das novas instalações nucleares para minerar BTC. 

“Da atividade das usinas, a energia excedente será utilizada em fazendas de mineração. Se temos o Bitcoin não há problemas em vender, não é mesmo?”, declarou. 

De acordo com o presidente, as instalações de mineração serão montadas próximas à usina nuclear do país. A planta ainda está em construção e estará totalmente operacional até o verão de 2020 na Bielorrússia. 

 

China pode proibir subsídios para mineração de Bitcoin

A atividade de mineração de criptomoedas foi colocada pela Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (CNDR) em uma lista de cerca de 450 indústrias que a entidade planeja eliminar. 

Caso a decisão seja aprovada, os governos locais da China seriam proibidos de subsidiar os mineradores de Bitcoin e outras criptomoedas, o que faria com que o custo de mineração subisse muito, levando os mineradores a encerrar suas atividades. 

Leia também: McAfee: “Bitcoin abaixo de US$ 1 milhão é matematicamente impossível em 2020”

 

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Receba as notícias mais importantes no seu email

Últimas Notícias