Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Operação da Polícia Federal prende chefões de uma das maiores pirâmides financeiras do Brasil

Operação da Polícia Federal prende chefões de uma das maiores pirâmides financeiras do Brasil

telexfree-piramide-financeira-dinheiro-líderes-donos-chefes-carlos-costa

A Polícia Federal prendeu, nesta terça-feira (17), Carlos Costa e Carlos Wanzeler, donos da Telexfree, considerada uma das maiores pirâmides financeiras do Brasil. O ato aconteceu durante a Operação Alnilam, que investiga a suposta ocultação de valores obtidos com as atividades da empresa no Brasil, conforme reportagem do G1.

Os sócios da empresa que operou entre 2012 e 2013 foram presos em suas casas, em Vila Velha e Vitória, durante a operação que contou com 15 policiais federais no cumprimento de três mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão.

A Telexfree vendia pacotes de telefonia móvel e mantinha um esquema de pirâmide financeira por meio de um sistema de venda direta remunerada, no qual o interessado em participar precisava pagar uma taxa de adesão de US$ 50 para se tornar um divulgador e, depois, tinha que revender seus pacotes para outros usuários interessados e estimulá-los a fazer o mesmo.

As investigações da PF indicaram que os valores obtidos com as atividades da Telexfree no Brasil teriam sido ocultados evitar que a Justiça os alcançasse. Rafael Lima, advogado da dupla, disse não ter entendido o motivo da prisão, acrescentando que:

“Se for esse, é algo que chama atenção, porque são fatos, no mínimo, de 2014. Não consigo entender porquê uma prisão a essa altura do campeonato, principalmente levando em consideração que nenhum dos processos a que eles respondem sequer foi sentenciado.”

Segundo a reportagem, as autoridades suspeitam que imóveis foram adquiridos em nome de outras pessoas, com recursos diretamente ligados à atividade da Telexfree.

“Esses imóveis depois eram alugados, gerando renda para os investigados”, diz o texto.

Em setembro deste ano, o Criptonizando noticiou que a empresa deve mais de R$ 2 bilhões a mais de 1 milhão de credores.

Leia também: Dono da BWA, sequestrado por policiais em SP, participou de uma das maiores pirâmides financeiras do país

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias