Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Retrospectiva 2019: As principais notícias Brasileiras

Retrospectiva 2019: As principais notícias Brasileiras

A retrospectiva relembrou as principais notícias brasileiras de 2019 do Criptonizando, este no foi turbulento, foram várias notícias relacionadas as pirâmides financeiras. 

Separamos as notícias mais visualizadas de 2019, com tudo que aconteceu de importante no Brasil.

Em abril, a Polícia Civil encontrou um laboratório de mineração de bitcoin ligado ao tráfico, em Porto Alegre, RS. 

As autoridades estimaram que o valor movimentado dava cerca de R$500 mil, os hardwares e softwares foram avaliados em mais de R$150mil.

Em maio, começou o esquema da InDeal, apontado pela Justiça do Rio de Janeiro, como pirâmide financeira, a empresa captou cerca de R$850 milhões, prometendo investimento em criptomoedas. 

Em junho, estava iniciando os processos contra a Unick, a Justiça negou o pedido de prisão de operadores da empresa, pois não havia provas concretas para o mandado de prisão.

Julho foi o mês que a Polícia Federal com a ajuda de hackers investigaram as supostas pirâmides financeiras InDeal, Unick Forex e FX Trading.

Em agosto, Dedé Santana se pronuncia referente a suposto golpe com Bitcoin. Dedé declara para a Unick Forex: “Eu sempre tive confiança em vocês. Eu tô firme aqui. Tamo junto e misturado”. 

Desde então a Unick foi a mais comentada do ano, em setembro, a empresa solicitou que os clientes declarassem em cartório que a empresa pagou a dívida, mesmo não pagando.

Em outubro, a Genbit emite uma nota referente à matéria divulgada pelo Criptonizando, desconfiando de suposto golpe com envolvendo a Zero10.Club e a Genbit.

Onde a Genbit afirma que a plataforma é “uma exchange, na qual são realizadas apenas compras, vendas e custódias de criptoativos”. 

Em novembro, mais uma pirâmide descoberta, e clientes ameaçando de morte o presidente da empresa Cryptonexx, Iago Iarlisson Evangelista, que teria sumido com os valores aplicados pelos clientes na empresa. 

E para finalizar o ano, dezembro foi o mês que os investidores da Unick tentavam recuperar os valores investidos na empresa. O presidente da empresa Leidimar Lopes está preço, a Unick teria movimentado cerca de R$28 bilhões. 

Recentemente, a Polícia Federal descobriu o sócio oculto do esquema da Unick, o advogado Fernando Baum Salomon, que está sendo investigado. 

Podemos dizer que 2019 foi o ano das pirâmides financeiras e o caso da Unick deu o que falar, mas com a popularização das criptomoedas e a quantidade de notícias relacionadas as pirâmides financeiras, talvez fique mais fácil para as pessoas identificarem um suposto golpe em 2020.

Leia também: Confira 10 criptomoedas baratas com potencial gigante em 2020

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias