Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Justiça determina bloqueio nas contas de Matheus Grijó e Atlas Quantum por "possibilidade de dilapidação do patrimônio"

Justiça determina bloqueio nas contas de Matheus Grijó e Atlas Quantum por "possibilidade de dilapidação do patrimônio"

anubistrade-matheus-grijó-justiça-bitcoin-criptomoedas-pagamento

Por meio de decisão publicada nesta segunda-feira (13), o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo determinou o bloqueio judicial de ativos financeiros de Matheus Grijó, criador da Anubis Trade, e da Atlas Quantum.

Na decisão, referente à uma ação aberta por um cliente da AnubisTrade, plataforma brasileira de criptomoedas vendida para a Atlas Quantum em setembro de 2019, o juiz alega “possibilidade de dilapidação do patrimônio”.

O processo pede tutela de urgência cautelar após o usuário que afirma ter custodiado R$ 22.461,94 (0,6575 BTC) não conseguir acessar seus fundos desde que a AnubisTrade passou a apresentar o mesmo problema que a Atlas, de atraso nos saques dos clientes.

“[O autor] Aduziu que os atrasos estão atingindo diversos clientes das rés, e que a conduta da ré evidencia o intuito de evasão de divisas”, diz um trecho da decisão, apontando que o pedido do cliente visa “impor que as partes rés que realizem o depósito voluntário dos valores que lhe são devidos, sob pena de multa diária, ou, alternativamente, a realização do bloqueio de seus bens”.

O juiz que analisou o caso entendeu que as alegações do autor “apresentam-se verossímeis, na medida em que a conduta das rés evidencia a possibilidade de dilapidação do patrimônio”.

Tal situação “traria prejuízos financeiros ao autor, considerando-se, inclusive as matérias relacionadas à conduta da ré com outros clientes no mesmo sentido afeto ao caso subjetivo do autor.”

Por isso, foi concedida a tutela de urgência ao autor do processo, no qual o magistrado determinou o bloqueio de ativos financeiros nas contas de Matheus Grijó e da Atlas Quantum.

“DEFIRO A TUTELA DE URGÊNCIA CAUTELAR apenas para DETERMINAR a realização do bloqueio de ativos financeiros das requeridas, ATLAS SERVIÇOS EM ATIVOS DIGITAIS (31.049.719/0001-40), ATLAS PROJ TECNOLOGIA EIRELI (26.768.698/0001-83), ATLAS SERVICES – SERVIÇOS DE SUPORTE ADMINISTRATIVO E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL LTDA (30.608.097/0001-80) e MATHEUS DOS SANTOS GRIJO (374.236.338-79), até o limite de R$ 22.461,94.”

Rodrigo Marques, CEO da Atlas, não foi citado no processo. No mês passado, em dezembro de 2019, o Criptonizando reportou que Grijó foi condenado a pagar mais de R$ 100.000 a cliente, segundo determinação da Justiça.

Os problemas de pagamento na AnubisTrade teriam começado menos de uma semana após a venda para a Atlas Quantum, que já enfrentava uma crise na época.

Leia também: Atlas Quantum diz que clientes tiveram lucro de 55% em 2019 e deixa de mencionar saques atrasados

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias