Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Outubro no G20: Brasil passará a discutir o uso de criptomoeda para substituir o Real

Outubro no G20: Brasil passará a discutir o uso de criptomoeda para substituir o Real

brasil-g20-real-brl-criptomoeda-cbdc-real-digital-uso

A próxima reunião entre integrantes do G20, em outubro deste ano, discutirá a implementação de criptomoedas nacionais (CBDC) para substituir as moedas fiduciárias, como o Real, no caso do Brasil.

De acordo com informações do portal japonês Kyodo, em resposta aos avanços da China com o Yuan Digital e o projeto Libra do Facebook, o grupo lançará bases para a adoção de sistemas de pagamentos em moedas digitais ainda em outubro, na reunião ministerial da Cúpula do G20, em Washington, EUA.

Os debates acerca do uso de CBDCs, moedas digitais nacionais apoiadas pelos governos e emitidas pelos Bancos Centrais, já começaram entre os representantes das nações na cúpula, aponta a publicação.

A iniciativa pode significar o fim do dinheiro como conhecemos.

Real Digital

Conforme noticiado aqui no Criptonizando, na última quarta-feira (08), o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Sales, disse que o PIX, sistema de pagamentos instantâneos do país criado como uma resposta ao Bitcoin, vai terminar em uma moeda digital.

A declaração ocorreu em um vídeo apresentado no evento online Conexão PIX, onde Campos Sales afirmou que o futuro é “quase todo digital”.

Brasil no G20

O debate em outubro será uma ampla discussão sobre o tema, abordando como as nações que integram o G20 irão lidar com a digitalização da economia.

Também entra em pauta a preocupação com a prevenção contra lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo na emissão de CBDCs, além da aceitabilidade no comércio e sistema financeiro internacional.

O Banco Central do Brasil estuda as possibilidades de uma moeda digital nacional desde 2017 e Campos Neto participará dos primeiros debates sobre o tema nos dias 15 e 16 de outubro, durante a “Reunião de Ministros e Governadores do Banco Central do G20”.

A Cúpula do G20 é composta pelos os oito países mais ricos e influentes do mundo, o G8, e 11 países emergentes.

G8: Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão, Reino Unido e Rússia. Países emergentes: África do Sul, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, México e Turquia.

China e Japão saem na frente

A iniciativa do grupo em busca da modernização, embora válida, está um pouco atrasada, considerando que dois de seus membros já estão com planos avançados neste quesito.

A China já está testando sua CBDC em quatro regiões do país, enquanto o Japão iniciou um teste piloto para verificar, de uma perspectiva técnica, a viabilidade da emissão do iene digital.

Leia também: Religião na blockchain: Fiéis criam token para espalhar a palavra de Deus

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias