Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Brasil ‘enfrentará consequências’ se permitir chinesa Huawei no 5G, diz embaixador dos EUA

Brasil ‘enfrentará consequências’ se permitir chinesa Huawei no 5G, diz embaixador dos EUA

todd-chapman-huawei-eua-brasil-economia-negócios-5g-consequências-
Imagem: Todd Chapman, embaixador dos EUA no Brasil. Reprodução/Youtube

Todd Chapman, embaixador dos Estados Unidos (EUA), afirma que o Brasil enfrentará “consequências” se permitir que a gigante chinesa de tecnologia Huawei forneça equipamentos para a rede 5G no leilão que deve acontecer em 2021.

Ao jornal O Globo, o diplomata menosprezou os investimentos da China aqui no Brasil e citou anúncios de companhias estadunidenses nas últimas semanas, no que evidencia o que especialistas chamam de “nova guerra fria” sobre a ofensiva global dos EUA contra o avanço da China, segunda maior economia do mundo.

Chapman sugeriu que o impacto econômico em território nacional será negativo caso a Huawei seja mantida e que empresas americanas poderiam deixar de investir no Brasil.

O motivo, segundo ele, é a preocupação acerca da segurança da propriedade intelectual dos usuários.

“Muitos países já decidiram excluir a Huawei por questão de segurança, como Austrália, Japão e Inglaterra, por exemplo. E esse número é crescente porque mais pessoas estão fazendo a mesma análise, vendo o comportamento da Huawei de roubar propriedade intelectual. A Inglaterra disse que vai tirar tudo da Huawei de seu sistema nos próximos anos”, argumentou o diplomata dos EUA que já impôs restrições a Huawei e agora pressiona seus aliados.

Por outro lado, chineses negam que pretendam usar a empresa privada para espionagem. Li Yang, cônsul chinês no Rio, disse na semana passada que os EUA estão contra a Huawei porque ficaram para trás no setor.

Brasil sofrerá consequências

Ao ser questionado pelo jornal sobre represália por parte dos EUA caso o Brasil permita a Huawei para implementar o 5G no país, Chapman afirmou:

“Diria que represálias não, consequências sim”, acrescentando que “cada país é responsável por suas decisões. As consequências que estamos vendo no mundo é que há um receio de empresas que estão baseadas na propriedade intelectual de fazer investimentos em países onde essa propriedade intelectual não seja protegida.”

O diplomata que alega se tratar de uma questão de segurança nacional, foi além, e disse:

“A informação não estará segura. A qualquer hora, o governo chinês pode pedir à Huawei que a informação seja mandada a eles.”

Chapman argumentou que “a maior exportação dos EUA é inteligência, propriedade intelectual”, por isso, “temos que proteger nossa propriedade intelectual”.

“E o Brasil tem que fazer o mesmo. Ou vai continuar exportando produtos primários, e não de alta tecnologia”, concluiu.

Leia também: Cielo reverte lucro e registra prejuízo de R$75 milhões no segundo trimestre de 2020

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias