Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Gregório Duvivier compara Bitcoin a jogo do bicho

Gregório Duvivier compara Bitcoin a jogo do bicho

gregório-duvivier-bitcoin-cariocas-coluna-artigo-corrupção-economia-governo-btc-criptomoedas

Gregório Duvivier, ator, humorista e escritor brasileiro comparou o Bitcoin (BTC), principal criptomoeda do mercado, ao jogo do bicho, em um artigo publicado na Folha de São Paulo na terça-feira (08). 

Conhecido pelo seu trabalho no canal Porta dos Fundos, no Youtube, o carioca de 34 anos chamou o BTC de “conto” em sua coluna no jornal paulista. 

Em seu texto, criticando principalmente a corrupção e as decisões políticas da população do Rio de Janeiro, Duvivier condena a “ingenuidade” dos cariocas, e afirma que “por trás da fama autogerada de malandragem, o carioca é o otário do Brasil”: 

“Cai em qualquer conto, do jogo do bicho à bitcoin, passando pelo frozen yogurt e pela teologia da prosperidade”, afirma. 

Com a declaração, o escritor faz duas insinuações: a primeira, de que é ingenuidade acreditar no Bitcoin, moeda digital baseada em blockchain que já chegou a ser chamada de “invenção espetacular” pelo ex-presidente do Banco Central do Brasil, Gustavo Franco. 

O segundo ponto é que, seguindo essa linha de raciocínio, as mesmas pessoas que acreditam no BTC são responsáveis pela eleição de políticos corruptos. 

“Na política, a gente se põe como vítima de uma quadrilha, como se a democracia não fosse representativa […] Só me resta defender a Autonomia Carioca. A transformação do Rio em cidade-estado livraria o resto do país do peso morto de milhões de moradores que puseram o país no maior esquema de pirâmide jamais visto —por pura malandragem”, afirma Duvivier no artigo. 

Bitcoin é golpe? 

Embora a criptomoeda criada em 2009 por Satoshi Nakamoto seja constantemente atrelada a notícias sobre golpes e hacks na Internet, o Bitcoin foi criado para servir como uma tecnologia descentralizada de pagamentos digitais. 

A falta de educação financeira no Brasil, no entanto, facilita para que golpistas usem a moeda digital como chamariz para enganar pessoas desinformadas com promessas de ganhos irreais – como já fazia Charles Ponzi em 1920.

Para Roberto Campos Neto, atual presidente do Banco Central, o futuro é digital, e o PIX, sistema de pagamentos instantâneos do Brasil surgiu das necessidades criadas pelo Bitcoin por “um instrumento de pagamentos que seja barato, rápido, transparente e seguro”.

Leia também: Mastercard cria plataforma para testar moedas digitais de bancos centrais

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias