Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

96% das solicitações de dados da Coinbase foram de agências federais

96% das solicitações de dados da Coinbase foram de agências federais

96% das solicitações de dados da Coinbase foram de agências federais

A exchange de criptomoedas Coinbase recentemente lançou seu relatório de transparência, revelando que cerca de 96% das solicitações de informações vieram de agências federais.

Isso tem sido um motivo significativo de preocupação entre os clientes da empresa, principalmente para os defensores da privacidade

Conforme reportou o Cryptopotato, dos 1.914 pedidos de informações que a corretora recebeu, 1.848 corresponderam a intimações e interações efetuadas por órgãos de investigação criminal. Apenas 66 provieram de órgãos cíveis ou administrativos.

Reprodução Cryptopotato/ Tipo de solicitações de informações enviadas por órgãos de cumprimento da lei para a Coinbase.

A empresa tem expressado consistentemente sua disposição de cooperação com as agências federais dos EUA, mantendo contratos e boas relações com o Departamento de Segurança. 

Outro destaque do relatório são as agências mais interessadas em rastrear criptomoedas em todo o mundo do crime.

De acordo com a Coinbase, 30,5% dos pedidos vieram do FBI, Homeland Security seguido por 16,5%, várias entidades locais com 16,2% e, finalmente, o DEA com 9,3%.

Esse número excede em muito as 710 solicitações recebidas pela Kraken durante 2019. Essa exchange também é sediada nos Estados Unidos e divulga dados sobre solicitações feitas por autoridades. 

Este ano, a Kraken informou que as autoridades desenvolveram um interesse cada vez maior pela criptomoeda, aumentando o número de pedidos de informação em quase 50%.

“Aqui está um resumo do Relatório de Transparência 2019 da nossa equipe de conformidade. Os EUA continuam à frente com 61% do total de solicitações, ante 66% no ano passado. Outros geos ganhando rápido. A tendência é óbvia. Os custos estão aumentando, mesmo em um mercado relativamente estável”. 

A equipe da Coinbase disse que não tem problema divulgar informações às autoridades, desde que os procedimentos legais sejam seguidos. 

Ainda assim, a exchange enfatiza que a privacidade do cliente também é considerada aos divulgar os dados para os federais. 

“Como uma instituição financeira com o dever de detectar e prevenir atividades proibidas em sua plataforma, respeitamos os legítimos interesses das autoridades governamentais em perseguir malfeitores que abusam de outras pessoas e de nossa plataforma”, declara a Coinbase.

Tanto a Coinbase quanto a Kraken foram classificadas entre as principais exchanges de criptomoedas de 2020 pela CryptoCompare. 

O fato de estarem registrados nos EUA, terem fortes políticas de AML/ KYC e estarem em conformidades com as leis, são pontos importantes quando se trata de avaliar o quão segura e confiável é uma plataforma.

Leia também: Nota de R$200: Polícia Federal suspeita de fraude na Casa da Moeda

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias