Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Justiça condena Itaú e Pagseguro por golpe de troca de cartões

Justiça condena Itaú e Pagseguro por golpe de troca de cartões

itau-pagseguro-banco-conta-golpe-cartão-troca-cliente-indenização-justiça-processo

O Itaú, maior banco privado do Brasil, e a PagSeguro, empresa de pagamentos eletrônicos da UOL, foram condenados no caso de um golpe de troca de cartão.

A 16ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo ordenou que as empresas façam ressarcimento e indenizem um cliente que teve seu cartão trocado ao fazer uma compra com um vendedor ambulante, segundo publicação do ConJur.

A vítima é cliente do Itaú. Já o fraudador, por sua vez, utilizou uma máquina da PagSeguro para efetuar o golpe.

De acordo com a Súmula 479 do Supremo Tribunal de Justiça, instituições financeiras respondem objetivamente pelos danos causados por fraudes ou delitos praticados por terceiros.

Instituições não agiram diante da situação

As empresas reconheceram a fraude, segundo consta nos autos. No entanto, o desembargador Jovino de Sylos ressalta que tanto o Itaú como o PagSeguro:

“Poderiam facilmente evitar os prejuízos causados ao autor por ocasião da troca de seu cartão de crédito Itaú quando fazia compra em ambulante munido da maquininha da PagSeguro”.

O relator do processo prossegue destacando que o laudo juntado pelo próprio Itaú reconhece que o golpe ocorreu, mas segundo Sylos, o banco pretende afastar sua responsabilidade alegando ser uma questão de segurança pública.

Para o magistrado, em vez disso, o Itaú deveria esclarecer os motivos de não ter impedido o repasse do pagamento ao fraudador.

Quanto a PagSeguro, responsável pela máquina de cartões de crédito utilizada pelo golpista, o tribunal aponta que a empresa “nada fez para impedir o crédito da compra em favor do beneficiário pela fraude, mesmo conhecendo seu nome”.

Decisão da Justiça

Depois de analisar o caso, o desembargador, citando o artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor, declara que ambas as empresas devem ser responsabilizadas.

O motivo, de acordo com o relator, é a “ineficácia de seus meios de segurança em reverter de imediato o proveito obtido pela conduta delitiva do fraudador”.

Em decisão unânime, o TJ-SP condenou o Itaú e a PagSeguro a ressarcir os danos materiais do consumidor, em R$ 5 mil, e pagar indenização por danos morais, também no valor de R$ 5 mil.

Leia também: Ethereum: Usuário pagou US$ 9.500 em taxas para transferir 120 dólares

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias