Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Projeto de energia solar de Minas poderá utilizar a tecnologia blockchain

Projeto de energia solar de Minas poderá utilizar a tecnologia blockchain

Projeto de energia solar de Minas poderá utilizar a tecnologia blockchain

O Governo do Estado de Minas Gerais está estudando a possibilidade de utilizar a tecnologia blockchain em projeto de energia solar. 

Conforme reportou o Cointelegraph, empresários do setor de criptomoedas estivaram com representantes do estado visitando as diversas usinas de energia solar. 

A proposta é alavancar a produção fotovoltaica do estado com blockchain e, possivelmente, com aval de reguladores como a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a tokenização de ativos de energia. 

O projeto faz parte do planejamento estratégico do Governo de Minas Gerais, cujo objetivo principal é alavancar o protagonismo do estado no setor de energia fotovoltaica. 

A iniciativa visa a diversificação da matriz energética a partir do aumento de projetos de geração de energia fotovoltaica, juntamente com a implantação de empresas fornecedoras de bens e serviços para o setor. 

De acordo com a reunião, “ainda não há nada fechado, mas há intenção de ambas as partes de promover o desenvolvimento da geração e distribuição de energia solar na região. Será preciso alinhar os objetivos e o modelo de negócio, mas há um potencial muito grande para o Estado em se ‘unir’ a tecnologia blockchain”. 

Outro projeto de 2019 com parceria da Aneel, o CPQD e a Copel Distribuição, vem desenvolvendo um sistema de compra e venda de energia no Brasil utilizando a tecnologia blockchain. 

A parceria visa criar um ambiente virtual para a comercialização direta de energia elétrica entre consumidores e aqueles que produzem sua própria energia (prosumidores), no ambiente de geração distribuída (GD). 

O projeto é conduzido pela concessionária de energia Copel distribuição, com atuação principal no estado de Paraná, para qual o CPQD está desenvolvendo uma solução baseada em blockchain destinada a viabilizar a implantação de um marketplace descentralizado para transações desse tipo.

Iniciado em agosto de 2019, o projeto conta com recursos do programa de pesquisa e desenvolvimento regulado pela Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica.

O uso da tecnologia Blockchain permitirá a comercialização de energia elétrica no marketplace de forma segura, rápida e sem intermediários, entre consumidores e prosumidores.

De acordo com o gerente do projeto por parte da Copel Distribuição, Frank Toshioka, “trata-se de uma nova relação comercial que tecnologias disruptivas como a blockchain tornam possível”. 

Leia também: Visa propõe método de pagamento offline para os CBDCs

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias