Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Usuário paga outra taxa astronômica de mais de R$12 milhões em ETH em transação na rede

Usuário paga outra taxa astronômica de mais de R$12 milhões em ETH em transação na rede

Ethereum-eth-criptomoedas-transacao-taxa-taxas-milionaria-milhoes-etherscan-ethermine-erro-lavagem

Pelo segundo dia consecutivo, um mesmo usuário pagou uma taxa milionária de mais de R$12 milhões para transacionar um valor muito menor em Ethereum (ETH) na rede.

Como o Criptonizando reportou na tarde de ontem (10), um endereço enviou 0,55 ETH (cerca de R$600) para um destinatário desconhecido pagando uma taxa de 10,668 ETH, mais de R$12,7 milhões. A ocorrência chamou a atenção da comunidade de criptomoedas, que inicialmente acreditava se tratar de um erro do destinatário ou do sistema.

Contudo, na manhã desta quinta-feira (11), o mesmo valor em taxa foi pago pelo mesmo endereço numa transação de 350 ETH, cerca de R$405 mil na cotação de hoje, para um destinatário diferente.

São mais de R$24 milhões em taxas em menos de 24 horas. Nas redes sociais, a comunidade fala sobre a possibilidade de lavagem de dinheiro, considerando que, embora a segunda transação carregue um valor maior, a taxa paga ainda é exorbitante e fora dos padrões.

Além disso, parece improvável que seja um erro humano cometido duas vezes, precisamente com o mesmo valor em menos de um dia.

Quem minerou a primeira transação, do bloco 10237208, foi a companhia SparkPool, que emitiu um comunicado quase imediatamente, afirmando que está investigando a ocorrência.

A transação de hoje foi minerada pela Ethermine, no bloco 10241999. A companhia também reagiu rapidamente e disse no Twitter que o remetente deveria entrar em contato imediatamente para resolver o problema.

No Twitter, o explorador de blockchain Etherscan comentou que, levando em consideração que ambas as transações ocorreram em menos de 24 horas e que ambas foram registradas por mineradores diferentes, isso “indicaria uma casualidade externa comum”.

Vitalik Buterin, cofundador da Ethereum, comentou sobre o caso, afirmando que isso “é definitivamente um erro” e que espera que a EIP 1559, que ajusta uma taxa básica de rede com base na demanda da rede resolva a questão, reduzindo a recorrência de coisas assim acontecendo, reduzindo a necessidade de usuários tentarem definir taxas manualmente, escreveu no Twitter.

Contudo, a explicação não satisfez muitos usuários, que não excluem a teoria de lavagem de dinheiro, embora se perguntem o motivo de o remetente não usar a mesma mineradora duas vezes, além de mudar o endereço de envio e o valor da taxa, apontou o CryptoNews.

Miko Matsumura, fundador da exchange Evercoin, disse ao site que esse parece ser um esquema elaborado de lavagem de dinheiro.

“A primeira transação desse tipo parece ser um erro… Mas duas dessas transações parecem intencionais”, afirmou.

Leia também: O que aconteceu com países como o Brasil, que deram calote na dívida pública?

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias