Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Unick Forex: Escutas da Polícia Federal revelam traição contra Leidimar Lopes

Unick Forex: Escutas da Polícia Federal revelam traição contra Leidimar Lopes

Unick-forex-solomon-leidimar-lopes-brasil-bitcoin-piramide

Escutas telefônicas implantadas pela Polícia Federal para monitorar a gestão Unick Forex, revelaram que Leidimar Lopes, apontado como líder do esquema acusado de organização criminosa, sofreu uma traição por parte de Fernando Salomon, advogado apontado como “sócio oculto” do esquema durante as investigações. As informações são do Cointelegraph.

O negócio que teria movimentado mais de R$28 bilhões no Brasil com ofertas de operações com bitcoin no mercado Forex, foi alvo da Operação Lamanai em outubro de 2019.

As autoridades agora trabalham para desvendar os detalhes da suposta fraude envolvendo estelionato, lavagem de dinheiro, crimes contra a economia popular, entre outros.

De acordo com documentos acessados pela reportagem, por meio de uma fonte anônima ligada ao caso, Salomon tentou aplicar um golpe em seu sócio, Leidimar Lopes.

O fato aconteceu quando os clientes da empresa já enfrentavam problemas para receber os pagamentos dos supostos rendimentos de até 4% ao dia que lhes foram prometidos.

Forjando uma situação referente a um bloqueio de R$ 80 milhões em uma conta da Unick, Salomon criou uma narrativa na qual, aponta a matéria, seria necessário um pagamento de R$ 2 milhões em propina para que o advogado da empresa Zoop Tecnologia e Meios de Pagamento S.A. onde o valor estava bloqueado, liberasse o dinheiro.

Em 25 de julho de 2019, uma pessoa chamada Caren conversa sobre a suposta propina com a advogada Thatiana Antunes Marranghello, sócia do escritório de advocacia Fernando Salomon & Advogados Associados.

O valor estaria sendo cobrado por Giancarllo Melitto, advogado da Zoop, para liberar os R$80 milhões da empresa RR Meios de Pagamentos LTDA, ligada à Unick Forex.

Embora Thatiana tenha conversado com Leidimar, afirmando que Salomon solicitou a resolução da situação, as escutas da PF revelam que o sócio teria armado a situação, diz a matéria. Segundo o relatório:

“[…] Inventando o pedido de “propina”, e que este tem a intenção de se apropriar do dinheiro que Leidimar iria pagar supostamente para o Advogado da Zoop”, diz a PF.

De acordo com as autoridades, a conversa entre Caren e Thatiana deixa clara a situação, e afirma:

“Ao que se verifica, Fernando Salomon já vinha preparando este ‘golpe’ contra Leidimar, sendo que para isso estava necessitando de uma conta corrente, de fora do Estado do Rio Grande do Sul, para albergar os R$ 2 Milhões que pretende amealhar com o estelionato que está arquitetando”, relata a PF.

A reportagem, no entanto, não obteve clareza sobre se o valor chegou a ser pago por Leidimar Lopes, que teria o suposto esquema fraudulento da Unick arquitetado desde o início.

A empresa é acusada de usar diversas empresas de fachada para lavagem de dinheiro, além de ter sido denunciada pelo Ministério Público e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Muitos investidores lesados pelo negócio lutam na justiça para receber de volta o dinheiro aplicado, alguns contam com a ajuda da ASSIC, no processo da venda de títulos executivos para empresas interessadas.

Leia também: Um dos maiores bancos da Coreia do Sul vai custodiar criptomoedas para investidores institucionais

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias