Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Crítico do Bitcoin, Goldman Sachs busca engenheiro com experiência em Ethereum (ETH)

Crítico do Bitcoin, Goldman Sachs busca engenheiro com experiência em Ethereum (ETH)

goldman-sachs-bitcoin-criptomoedas-ethereum-engenheiro-vaga-anuncio-emprego

O gigante Goldman Sachs, um dos maiores bancos de investimentos do mundo e grande crítico do Bitcoin, está procurando um engenheiro de software com experiência em Ethereum (ETH).

O anúncio acontece menos de dois meses após funcionários do grupo criticarem o Bitcoin, afirmando se tratar de um investimento inviável.

A vaga de engenheiro de software é para trabalhar no Accelerate, uma iniciativa focada em promover a inovação nas várias divisões do gigante bancário.

“Os engenheiros desempenharão um papel essencial para ajudar a definir o escopo e a direção dos negócios à medida que lançam e crescem, e se tornarão os principais proprietários das plataformas à medida que evoluírem”, diz o anúncio.

Entre as qualificações, estão listadas experiência em Tecnologia Ledger Distribuída (DLT, na sigla em inglês), incluindo Blockchain, Ethereum, R3 e Solidity.

Segundo a publicação, o engenheiro trabalhará com o diretor de tecnologia para projetar a arquitetura da plataforma principal de engenharia, além de “inovar com as novas tecnologias”.

“Em suma, estamos evoluindo e estamos procurando alguns dos engenheiros mais talentosos do mundo para nos ajudar a ir mais longe do que nunca”, afirma o Goldman Sachs.

Crítica às criptomoedas

Em maio desse ano, analistas da Goldman disseram que os ativos digitais “não constituem uma lógica viável de investimento”.

Os funcionários da empresa argumentaram que o BTC não é uma classe de ativos, porque não pode criar um fluxo de caixa, como os títulos, além de argumentar que a principal criptomoeda do mundo tem vários outros fatores trabalhando contra ela.

Segundo o banco, o bitcoin não gera ganhos através da exposição ao crescimento econômico; não provou ser um hedge confiável contra a inflação; e foi usado para facilitar a lavagem de dinheiro e as compras na dark web.

O posicionamento do Goldman Sachs gerou uma reação de indignação em membros de alto nível da comunidade de criptomoedas, que apontaram para o papel do banco de investimentos em facilitar o escândalo de lavagem de dinheiro 1MDB.

Experiência com Ethereum

O Goldman Sachs, no entanto, não é o primeiro gigante a buscar profissionais com experiência nessa área.

Recentemente, a gigante de pagamentos, Visa, anunciou uma vaga para desenvolvedores de Bitcoin, Ethereum e Ripple para um projeto global com blockchain.

Leia também: Justiça ordena bloqueio de criptomoedas de homem envolvido em assassinato de advogado em SP

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias