Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

ABCripto e Blockchain Academy querem mapear as startups de Bitcoin no Brasil

ABCripto e Blockchain Academy querem mapear as startups de Bitcoin no Brasil

bitcoin-criptomoedas-economia-brasil-abcripto-blockchain-academy-startups-

Uma nova parceria entre a Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto) e a Blockchain Academy visa mapear as principais startups brasileiras de Bitcoin (BTC) e outras criptomoedas no país. 

Em comunicado encaminhado ao Criptonizando, a ABCripto informou que a iniciativa tem como objetivo “ajudar a resolver um grande problema do setor hoje, que é a inexistência de uma fonte oficial de dados”. 

“Entre os players, apesar da organização, não há uma fonte única e padronizada de informação”, ressalta a associação. 

A pesquisa ouvirá “todos os players, independentemente da atuação”, e viabilizará um mapeamento que inclui startups de corretagem, intermediação e custódia de criptoativos no Brasil. 

Segundo o anúncio, essa também é uma forma de acompanhar o caminho e a evolução desses negócios, além de ser uma opção de canal de visibilidade e interlocução. 

“Juntos conseguiremos levantar dados atualizados e precisos sobre as empresas, além de contribuir para a legitimação, a transparência e o fortalecimento do setor”, afirma Safiri Felix, diretor-executivo da ABCripto. 

De acordo com a projeção da associação, em todo o ano de 2020, os ativos digitais devem movimentar 100 bilhões de reais, impulsionados pelo aumento da demanda originado com o atual contexto econômico global. 

Para Rosine Kadamani, CEO da Blockchain Academy, o setor tem expressado sinais de amadurecimento, mas “ainda podemos promover mais a sua legitimação e visibilidade, e desenvolver mais as métricas de sua evolução”. 

“Iniciativas como esse mapeamento visam ampliar a transparência da atuação desse mercado, além de criar uma metodologia padronizada para acompanhamento dessa evolução nos próximos anos. O melhor ponto de partida, ao nosso ver, é fortalecendo o canal direto e integrado de comunicação”, acrescenta Kadamani. 

O questionário da pesquisa está disponível no link.

Leia também: É possível ver o Bitcoin como porto seguro? – Cripto Mulheres debate

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias