Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

França prende terroristas que enviavam fundos em Bitcoin para a Síria através de cupons

França prende terroristas que enviavam fundos em Bitcoin para a Síria através de cupons

cupom-bitcoin-terrorismo-terrorista-frança-síria-btc

A polícia francesa prendeu 29 suspeitos de conexão com um grupo terrorista da Síria que supostamente enviava centenas de milhares de euros em Bitcoin (BTC) através de cupons para o exterior. 

Os suspeitos, detidos na última terça-feira (29), de acordo com a mídia local, usavam cupons de Bitcoin vendidos em lojas de conveniência. 

Na França, os cidadãos têm acesso a cupons especiais de criptomoedas no valor de até 250 euros (cerca de R$ 1.644) fornecidos principalmente pelas empresas Digycode e Keplerk, em mais de 30 mil lojas de conveniência e tabacaria em todo o país. 

Depois de adquirir os tickets pré-pagos, a população pode trocá-los por BTC e outras criptomoedas nas plataformas dos fornecedores. 

Essa é a maneira mais simples de comprar Bitcoin na França e, por extensão, a mais fácil de detectar, de acordo com William O’ Rorke, sócio do escritório de advocacia ORWL especializado em tecnologias disruptivas e casos relacionados a blockchain. 

Terrorismo 

A Procuradoria Nacional Antiterrorismo informou que os suspeitos estavam comprando esses cupons de criptomoedas e enviando seus scans aos líderes do grupo – dois franceses que atualmente residem na Síria. 

Em seguida, os cupons foram convertidos em Bitcoin através da Turquia. 

Mesmo com condenações à revelia a 10 anos de prisão e mandados de prisão internacionais emitidos contra eles, os líderes do grupo terrorista ainda conseguiram se registrar e ativar seus códigos na plataforma. 

“Banimos todas as conexões fora da França e Suíça, todos os outros países como Turquia e Síria foram completamente banidos”, disse Christopher Villegas, cofundador da Digycode. 

De acordo Adil Zakhar, CEO da Keplerk, o caso mostra que a França tem sido capaz de se posicionar no setor de criptomoedas, “inclusive na luta contra os abusos vinculados ao Bitcoin”. 

Para evitar o financiamento ao terrorismo utilizando criptomoedas, até o final do ano, todas as empresas do ramo terão que obter a aprovação do provedor de serviços de ativos digitais (PSAN) da Autorité des marchés financiers (AMF), regulador do mercado de ações da França. 

Leia também: Russomanno chama de “ataque” acusações de pirâmide financeira contra sua filha: “Fico triste”

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias