Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Como minerar Ethereum?

mineirar ethereum

A mineração é o processo responsável pelo mantenimento da rede Ethereum em funcionamento e pela geração de Ether.

As transações na rede Ethereum necessitam ser verificadas usando um processo conhecido como prova de trabalho (proof of work). Tal verificação é feita pelos mineradores, que usam o poder computacional para solucionar equações matemáticas complexas e assegurar a validade das transações.

Quem resolve a equação primeiro é considerado o vencedor e é recompensado em Ether. Assim, quando um mineiro soluciona a equação ele imediatamente comunica o resto da rede, usando linguagem de computador. Nesse momento, todos os mineiros restantes verificam se a solução está correta e se 51% deles estiverem de acordo um novo bloco de transações é adicionado ao blockchain. Este novo bloco contém todas as transações verificadas. Esse processo de produção de um novo bloco ocorre a cada 15 segundos e a recompensa do minerador vencedor é de 2 moedas de Ether.

 

Considerações importantes antes de começar a minerar

A primeira é quanto mais pessoas se juntam a minerar na rede Ethereum, mais difícil se torna solucionar o problema matemático e consequentemente aumenta-se o grau de dificuldade da mineração. O equipamento ainda custa bastante e os retornos atualmente estão baixos. No entanto, se você confia no projeto e acredita que os preços vão subir mais no futuro, pode valer a pena fazê-lo agora pensando mais adiante.

Outra informação que você deve saber é que a Ethereum planeja migrar da atual estrutura “proof of work” para uma chamada “proof of stake”. Portanto, Com essa mudança, a mineração da Ethereum poderia deixar de ser relevante.

 

Então, o que é preciso para minerar Ethereum?

Exitem basicamente três maneiras de minerar Ethereum:

– Minerar Ethereum com seu própio equipamento
– Juntar-se a uma pool de mineração
– Usar serviços de mineração na nuvem

 

Minerar Ethereum com seu própio equipamento

equipamento minerar ethereum

Hardware necessário:

A primeira coisa que você deve fazer é escolher um hardware dedicado. Você pode usar a CPU do seu computador ou uma GPU (Unidade de Processamento Gráfico), que é uma placa gráfica bem onerosa.

É importante dizer que minerar desde o CPU não é lucrativo e nem vale a pena, já que as GPUs sao bem mais eficientes que as CPUs para finalidade de mineração.

Antes de decidir pela compra de uma placa gráfica devem ser considerados aspectos como: custos associados ao equipamento, consumo de energia e taxa de desempenho.

Outra alternativa é criar rig de mineração, que é um equipamento de mineração composto por várias GPUs. Isso incrementa a taxa de desempenho e suas chances de sucesso na mineração.

Antes de começar a minerar você pode calcular o lucro aproximado de acordo com o equipamento de hardware e o custo da eletricidade na sua região. Existem várias calculadoras online que te permitem fazer essa consulta como nicehash, criptocompare e whattomine.

No Brasil os estados tem custos de eletricidade diferentes, em São Paulo por exemplo é aprox 0.484 R$/kWh (não se esqueça que é necessário converter para dólar ao usar a calculadora).

Software necessário:

De acordo com a placa gráfica escolhida, você ainda vai precisar instalar os drivers específicos relativos a ela. Você pode descobrir isso olhando no site do fabricante ou junto ao próprio manual do equipamento.

Após isso é preciso fazer o download de todo o blockchain da Ethereum, que no momento conta com mais de 20GB, e depois se conectar na rede.

Para fazer isso você precisa instalar o Geth, que se encontra no site da Ethereum. O último passo antes de começar a minerar é efetuar a instalação do software Ethminer (para windows) que faz com que sua GPU ou CPU execute o algoritmo que é fundamental para a segurança da rede Ethereum. No site da Ethereum você pode encontrar mais detalhes de tudo isso.

Finalizado todo esse processo você já estará apto para iniciar a mineração. O único problema aqui é que usuários não familiarizados com linhas de comando podem ter um pouco dificuldade para lidar com o Geth e o Ethminer por não serem programas muito amigáveis.

Se você não lida muito bem com essas tecnicidades e ainda sim quer minerar Ethereum, há outras duas formas mais simples que serão explicadas na sequencia.

 

Juntar-se a uma pool de mineraçao

pool de Mineração Ethereum

Fazer parte de uma pool de mineração é bem menos trabalhoso do que montar o próprio equipamento. Por isso ser uma melhor alternativa se você é iniciante e deseja começar a minerar, já que com um computador comum é possível começar.

Uma pool de mineração é basicamente um grupo de pessoas que concentram os poderes computacionais de suas máquinas para incrementar suas possibilidades de solucionar as equações matemáticas e ganharem Ether. Os ganhos obtidos são repartidos entre todos proporcionalmente à contribuição computacional de cada um.

É muito importante também que você avalie com atenção as características da pool que pretende entrar. Fatores como taxas, pagamentos e poder computacional da pool variam bastante e você deve analisar com cuidado todos esse aspectos antes se registrar.

Existe uma enorme gama de opções quando se fala em pool de mineração de Ethereum. A maior e mais conhecida é a Ethpool/Ethermine, que apesar de nomes diferentes são na verdade uma pool gigante que detém 24% do poder computacional da rede. Outras pools que também são imensas são as chinesas f2pool e Ephfans, que possuem 24% e 8.6% de hashing da rede respectivamente. Para completar a lista ainda tem a DwarfPool com 13%.

 

Usar serviços de mineração na nuvem (Cloud Mining)

mineração na nuvem

Essa é uma alternativa se você quer minerar sem a necessidade de investimento em compra de Hardware, instalações de sofware, gastos com eletricidade e tudo mais que envolve o processo de mineração tradicional.

A ideia é basicamente que você use poder computacional de data centers localizados em lugares remotos. As vantagens desse tipo serviço parecem ser bem convincentes, mas há algumas desvantagens que devem ser consideradas.

Primeiro que você não tem nenhum controle sobre o processo, e poderá sofrer consequências de problemas de má gestão. Outra questão é que na maioria das vezes você não conhece as reais intenções da empresa que está por trás do processo e por isso corre o risco de ser enganado. Por isso é muito importante que você se informe bastante sobre a empresa antes de tomar uma decisão.

 

Conclusão

É importante que você tenha em mente que o mundo da mineração vive em constante alteração, os equipamentos que você adquire hoje pode ficar desatualizados pouco tempo depois. Por isso é aconselhável que você fique sempre atento às mudanças na tecnologia.

Próxima página: Guia de carteiras Ethereum

 

Receba as notícias mais importantes no seu email

Receba as notícias mais importantes no seu email

Todos os guias