Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Tecnologia Blockchain: O que é e como funciona?

blockchain tecnologia

Se você tem seguido o mercado de investimentos e novas tecnologias nos últimos anos, seguramente você ouviu bastante a palavra “Blockchain”. A definição clássica que você deve ter lido deve ser algo parecido com “Blochchain é um registro público, distribuído e descentralizado”. Essa explicação soa um pouco confusa para iniciantes, nesse pequeno guia vamos tentar simplificar isso com  exemplos do nosso dia a dia.

 

Então, o que é a tecnologia Blockchain?

Na tradução ao pé da letra, blockchain é literalmente uma “cadeia de blocos”. Onde cada bloco representa um conjunto de informações digitais, e a cadeia é onde esses blocos estão armazenados (um banco de dados público, algo similar à uma planilha excel compartilhada com toda uma rede). As informações contidas nesses blocos se dividem em:

1 – Informações sobre as transações em si. Como o valor, data e hora de uma determinada compra que você fez no Mercado Livre por exemplo.

2 – Informações sobre as partes que estão participando das transações. O seu nome real não é usado. Assim, ao fazer uma transação, o vendedor só verá seu nome de usuário, que não está atrelado diretamente às suas informações pessoais.

3 – Informações que identificam o bloco, que é  basicamente um número associado. Esse código é chamado de hash.

Um único bloco é capaz de armazenar até milhares de transações. Além disso, todas as transações são públicas, o que significa que qualquer um pode acessá-las, garantindo total transparência ao sistema.

Mas não se preocupe que ninguém pode espionar sua vida e identificar as transações que você fez pois, como já foi dito, a sua identidade real não está associada a elas.

O controle da rede Blockchain  também não pertence a nenhuma entidade específica. A rede é totalmente descentralizada e segura. Essa segurança advém do fato de que cada bloco de transações é verificado pelos milhares de computadores distribuídos pela rede. Portanto, fraudar uma transação é extremamente improvável e quase impossível matematicamente.

 

Onde a tecnologia Blockchain se encaixa no mundo real?

Eliminar intermediários

Ok! Agora que temos uma plataforma segura para transferência de valores e informações digitais, podemos começar a usá-la para nos comunicar diretamente com os comerciantes ou prestadores de serviço, não é? Pois, atualmente  usamos serviços de intermediários para interagir com vários deles. Se precisamos de um motorista, o que fazemos? Usamos o Uber. E para alugar um apartamento nas férias? Entramos no Airbnb. E Se queremos comprar um produto pela internet? Amazon, Mercado Livre, entre outros.

E porque usamos estes serviços? Usamos porque eles oferecem a segurança necessária na negociação entre as duas partes, entre você e quem está do outro lado. Mas, obviamente isso tem um custo que, em muitos casos, encarece consideravelmente o preço final.

Com a tecnologia Blockchain, essa terceira parte confiável passaria a ser desnecessária. E através da plataforma Blockchain, poderíamos nos comunicar diretamente com o motorista, com o proprietário do apartamento e com o comerciante que esta vendendo o produto que queremos comprar (evitando assim as taxas do Uber, do Airbnb e da Amazon). E o mais importante de tudo, pagando taxas ínfimas (quando houver) e com total segurança.

As mudanças no mundo financeiro, principalmente em relação aos bancos, são ainda mais fáceis de ver. Afinal de contas, seus lucros bilionários provém, em grande parte, de cobranças de taxas para guardar seu dinheiro e facilitar suas transações. Não é atoa que a principal entidade contrária à essa tecnologia são os próprios bancos, que veem diante do seus olhos a possibilidade de uma diminuição astronômica dos seus lucros. Além da necessidade de mudarem drasticamente seus serviços, se não quiserem ir a falência.

 

E como tudo isso funciona?

blockchain

Quando um determinado bloco recebe as informações, ele tem que ser adicionado na rede Blockchain. Para que esse bloco seja adicionado, alguns passos devem ser seguidos:

1 – Vamos usar o mercado livre como exemplo. Você vai lá, encontra o produto que quer. Preenche todas as informações que eles pedem e clica em “comprar”. Pronto, o primeiro passo acabou de ocorrer, uma transação foi feita.

2 – Depois de efetuada a transação, ela precisa ser verificada. Na Blockchain, quem faz essa verificação são os milhares (às vezes até milhões, como no Bitcoin) de computadores da rede, eles conferem os dados, valores, participantes e todo o necessário para garantir que não houve nenhuma tentativa de fraudar o sistema.

3 – Depois de ser verificada, essa transação recebe autorização para entrar no bloco. Todas as informações relativas a ela vão junto. Valor, data, hora, assinaturas digitais das duas partes e etc. Nesse bloco, essa transação se juntará a milhares de outras que passaram pelo mesmo processo.

4 – Depois que o bloco recebe um determinado número de transações e elas são devidamente verificadas, esse bloco recebe um código chamado de hash. Esse mesmo bloco também recebe o hash do bloco anteriormente adicionado, atrelando-se matematicamente ao ultimo bloco da cadeia, como se fossem “acorrentados” um no outro.

Depois de adicionado a Blockchain, o bloco fica disponível para que quer pessoa que deseje ver. Se você acessar o Blockchain do Bitcoin, por exemplo, poderá consultar todo esse histórico de transações e suas respectivas informações

Próxima: O que é Hard Fork? E um Soft Fork?

Receba as notícias mais importantes no seu email

Receba as notícias mais importantes no seu email

Todos os guias