Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Justiça retém passaporte de Cláudio Oliveira do Grupo Bitcoin Banco

Justiça retém passaporte de Cláudio Oliveira do Grupo Bitcoin Banco

Por J.S.

claudio oliveira bitcoin banco criptomoedas bitcoin
Conforme publicado no site de notícias Valor Investe, a Justiça do Paraná, nessa terça-feira dia 20 de agosto, reteve o passaporte de Cláudio Oliveira, dono do Grupo Bitcoin Banco (GBB).

 
O Grupo vem sido alvo de dezenas de ações judiciais de clientes que não conseguem sacar investimentos realizados nas plataformas do grupo desde maio de 2019.
De acordo com a reportagem, as decisões judiciais foram concedidas devido às suspeitas de que Oliveira poderia deixar o país nesse quarta-feira dia 21, conforme especulações na internet de que Cláudio Oliveira teria comprado uma passagem para a Suíça.
Os processos que resultaram nessa decisão correm em segredo de Justiça, mas o site Cointelegraph teve acesso ao processo em que nele explica o motivo da apreensão do passaporte.
“3. Forte nesses argumentos, presentes os requisitos da verossimilhança e urgência, conforme supra indicado, utilizando de medidas cautelares atípicas, acolho excepcionalmente o pedido de concessão de tutela de urgência formulado para o fim de determinar o bloqueio dos passaportes do requerido Cláudio José de Oliveira, devendo este providenciar o depósito em Secretaria dos documentos (nacionais ou estrangeiros), no prazo de 24 (vinte e quatro) horas. A Medida pode ser revogada se neste prazo a parte executada apresentar bens livres e suficientes à satisfação integral do título ora em execução conforme já indicado.

Diante da informação de que o requerido se encontra com viagem internacional marcada para amanhã (21.08.2019), assim como possui aeronave particular, oficie-se à Policia Federal solicitando diligência necessárias ao cumprimento da presente decisão, fazendo as comunicações e medidas que entender cabíveis, visando evitar a evasão do requerido do país por qualquer meio. Cumpra-se a urgência inclusive por meio dos oficiais de justiça eventualmente em plantão servindo a presente decisão como mandado.”

Cláudio Oliveira não quis se manifestar sobre o assunto.

Entenda o caso

Entenda o caso

As exchanges NegocieCoins e Tem BTC estão com os saques travados desde 17 de maio.   

Poucos dias depois, o grupo anunciou que havia sofrido uma fraude de R$ 50 milhões  e, em seguida, a BatExchange, também parte do Bitcoin Banco, entrou em manutenção por tempo indeterminado.  

A Justiça do Paraná ordenou o bloqueio de quase R$ 6 milhões das contas do Grupo, mas encontrou menos de R$ 130 mil

Vítimas que não conseguem resgatar os valores aplicados no Bitcoin Banco já abriram centenas de ações judiciais contra o Grupo. Os prejuízos são calculados em mais de R$ 200 milhões. 

Em uma das ações, a justiça determinou o bloqueio de bens pessoais de Cláudio Oliveira, fundador do Bitcoin Banco. As autoridades foram até a casa e a chácara do empresário em busca de itens como obras de arte, joias, quadros, relógios e até sapados de marcas de luxo.

Nessa terça-feira, a Polícia Militar cumpriu um mandado de busca e apreensão na sede do Bitcoin Banco.

Leia também: ​Taxa de hash do Bitcoin atinge novo recorde histórico, este é um indicativo sólido de alta no preço?

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias

Mais Lidas