Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Exchanges do Grupo Bitcoin Banco ficarão fora do ar por uma semana

Exchanges do Grupo Bitcoin Banco ficarão fora do ar por uma semana

claudio oliveira bitcoin banco criptomoedas bitcoin

O Grupo Bitcoin Banco irá suspender o funcionamento das exchanges Tem BTC e NegocieCoins a partir da meia-noite de domingo, 1° de setembro.

De acordo com o comunicado divulgado pelo Grupo, o objetivo é “parametrizar e reformular as exchanges, normalizar os pagamentos após revalidação dos cadastros dos clientes ativos”.

 

A empresa afirma que a mudança vai implantar novas práticas para aumentar a segurança das operações e oferecer uma plataforma mais profissional, além de “integrar diretamente as exchanges com o Audax Bank e Get4Bit”.

A medida tem como origem recomendações da empresa de auditoria Ernest & Young.

Segundo a empresa, as exchanges retornarão ao ar em sete dias.

Durante este período, os escritórios em Curitiba e São Paulo estarão funcionando, assim como o chat de atendimento, diz o texto.

Caso Bitcoin Banco 

Caso Bitcoin Banco 

As exchanges NegocieCoins e Tem BTC estão com os saques travados desde 17 de maio.    

Poucos dias depois, o grupo anunciou que havia sofrido uma fraude de R$ 50 milhões  e, em seguida, a BatExchange, também parte do Bitcoin Banco, entrou em manutenção por tempo indeterminado.   

A Justiça do Paraná ordenou o bloqueio de quase R$ 6 milhões das contas do Grupo, mas encontrou menos de R$ 130 mil.

Vítimas que não conseguem resgatar os valores aplicados no Bitcoin Banco já abriram centenas de ações judiciais contra o Grupo. Os prejuízos são calculados em mais de R$ 200 milhões.

Em uma das ações, a justiça determinou o bloqueio de bens pessoais de Cláudio Oliveira, fundador do Bitcoin Banco. As autoridades foram até a casa e a chácara do empresário em busca de itens como obras de arte, joias, quadros, relógios e até sapados de marcas de luxo. 

No dia 20 de agosto, a Polícia Militar cumpriu um mandado de busca e apreensão na sede do Bitcoin Banco e reteve o passaporte de Cláudio Oliveira. 

Oito dias depois, outro mandado de busca e apreensão foi cumprido na sede da empresa e em outras empresas ligadas à Cláudio Oliveira.

Leia também: MP do Ceará denuncia empresa de criptomoedas por crime contra economia popular

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias

Mais Lidas