Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Líder de pirâmide que lucrou R$ 3 bilhões acaba preso depois de chamar investidores de “burros e idiotas”

Líder de pirâmide que lucrou R$ 3 bilhões acaba preso depois de chamar investidores de “burros e idiotas”

bitclub líder pirâmide bitcoin criptomoedas investidores

Um dos líderes da BitClub, pirâmide financeira que lucrou R$ 3 bilhões em cima de investidores enganados em todo o mundo, foi preso depois de tê-los chamado de “burros” e “idiotas”.

Com promessas de rendimentos de 300%, o esquema que se autointitulava como uma empresa de “mineração inteligente” também operava no Brasil e prometia mineração da Ripple, uma criptomoeda centralizada que sequer permite processo de mineração por terceiros.

De acordo com informações do Departamento de Justiça dos EUA, em 2017, o líder Matthew Brent Goettsche, de 37 anos, enviou um e-mail para outro líder da pirâmide que começou em 2014, sugerindo que o esquema os tornaria muito ricos e que eles poderiam se aposentar graças ao golpe.

Isso porque, segundo Goettsche, o alvo do negócio fraudulento seriam investidores “burros”. O golpista também afirmou que eles estavam “construindo todo o esquema nas costas de idiotas”.

Goettsche então instruiu os membros do grupo que dizia ser “a empresa mais transparente do mundo” a manipularem imagens para fingir ganhos de mineração. O golpe por fim lhes rendeu pelo menos US$ 722 milhões (cerca de R$ 3 bilhões) arrecadados de investidores enganados no golpe.

Sem registro na Comissão de Valores Mobiliários americana, os líderes também venderam ações da BitClub como outra forma de golpe.

Contudo, nem tudo são flores, e quatro líderes da pirâmide foram presos pela Justiça americana, incluindo Goettsche. Os outros três são: Jobadiah Sinclair Weeks, Joseph Frank Abel e Silviu Catalin Balaci. O irônico é que Abel havia dito que o esquema era “grande demais para falir”.

“Conspiração por fraude eletrônica acarreta uma pena potencial máxima de 20 anos de prisão e uma multa de até US $ 250.000. A conspiração para vender valores mobiliários não registrados acarreta uma pena máxima de cinco anos de prisão e uma multa de até US $ 250.000”, alerta a Justiça americana.

Leia também: Foragido, brasileiro leva vida de luxo e grava até DVD em Dubai depois de aplicar golpe milionário com bitcoin

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram e Twitter e fique por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias