Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Ripple (XRP) supera o Bitcoin em valor movimentado no Brasil no 1° trimestre, diz Receita Federal

Ripple (XRP) supera o Bitcoin em valor movimentado no Brasil no 1° trimestre, diz Receita Federal

Xrp-ripple-brasil-criptomoedas-bitcoin-btc-receita-federal-declarar-imposto-de-renda-2020-economia-trimestre-dados-informação

A Receita Federal divulgou, nesta quarta-feira (17), um relatório atualizado sobre as declarações de operações com criptomoedas no Brasil, revelando que a XRP da Ripple ultrapassou o Bitcoin em valor total movimentado no primeiro trimestre de 2020.

No total, o mercado brasileiro movimentou cerca de R$26,62 bilhões em criptoativos só nos primeiros três meses do ano, de acordo com as operações declaradas à RF, prática que é obrigatória no país desde agosto de 2019.

Foram R$ 7,031 bilhões em janeiro, R$ 10,765 bilhões em fevereiro e R$ 8,824 bilhões em março. Contudo, o que mais chama atenção é o volume da XRP, confira os detalhes:

A Receita revela separadamente os valores transacionados em Bitcoin (BTC), Ripple (XRP), Ethereum (ETH), Litecoin (LTC), Bitcoin Cash (BCH) e outros.

Assim, é possível identificar que só no primeiro trimestre de 2020, foram movimentados cerca de R$12,2 bilhões em XRP no Brasil, em contraste com cerca de R$10,2 bilhões em BTC no mesmo período.

O total transacionado das duas moedas, de acordo com os 3 primeiros meses do ano:

Janeiro: R$1,4 bilhão em XRP e R$4,5 bilhões em BTC;
Fevereiro: R$5,8 bilhões em XRP, R$2,7 bilhões em BTC;
Março: R$4,8 bilhões em XRP, R$3 bilhões em BTC.

A Ripple tem se esforçado para aumentar sua presença no Brasil em 2020, colocando o país como foco da sua estratégia de negócios na América Latina.

A empresa emissora da XRP revelou que pretende criar um corredor de pagamentos com sua moeda no Brasil, e seu CEO, Brad Garlinghouse, inclusive teve uma reunião à portas fechadas com o presidente do Banco do Brasil, Roberto Campos Neto, recentemente.

Número de operações no 1° tri

Quanto ao número de operações com criptomoedas no Brasil declaradas pelos usuários à Receita Federal no primeiro trimestre de 2020, o bitcoin segue liderando com unanimidade.

Em janeiro, o BCH ocupou o segundo lugar, seguido da LTC e XRP, respectivamente.

No mês de fevereiro, quem ficou com o segundo lugar foi a XRP, seguida da ETH e LTC, nessa ordem.

Já no mês de março, o segundo e terceiro lugar se inverteram, com ETH e XRP, respectivamente, seguidos da LTC.

Você pode conferir todos esses dados disponibilizados pela Receita Federal clicando aqui.

Leia também: Venezuelano perde R$800 mil investido na Atlas Quantum

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias