Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Banco Central terá que imprimir novamente todas as notas de 200 reais?

Banco Central terá que imprimir novamente todas as notas de 200 reais?

Nota de R$ 200: Banco Central deve retirar todas as cédulas de circulação, diz Defensoria Pública
Imagem oficial da nova nota de R$ 200.

A Defensoria Pública do Distrito Federal exige que o Banco Central do Brasil efetue mudanças na nova nota de R$ 200 e a entidade monetária pode ter que imprimir todas as cédulas novamente. 

O Conselho Monetário Nacional (CMN) liberou R$ 113,4 milhões para a impressão das 450 milhões de cédulas de 200 reais lançadas há apenas 20 dias, cujas dimensões são as mesmas que as notas de R$ 20. 

Este é precisamente o problema apontado pela instituição pública, que cobra do Banco Central, medidas que garantam acessibilidade a pessoas cegas ou com deficiência visual, argumentando que a cédula foi confeccionada sem obedecer à legislação. 

“Essas notas violam o direito fundamental à informação acessível”, alerta o órgão.

Segundo a defensora pública Bianca Cobucci, isso “é um retrocesso na garantia de direitos constitucionais das pessoas com deficiência, especialmente as pessoas cegas” que se aproximam dos 7 milhões de indivíduos no Brasil. 

Diante da situação, a instituição pública enviou ao Banco Central e à Casa da Moeda, uma carta de recomendação apoiada nos requisitos de acessibilidade previstos na Constituição Federal. 

Defensoria pede reimpressão de notas 

O documento oficial, que foi divulgado nesta terça-feira (22) pelo portal Metrópoles, questiona os motivos pelos quais a nova cédula foi lançada com a mesma dimensão da cédula de R$ 20 e solicita a adoção das providências necessárias para assegurar a acessibilidade a pessoas com deficiência visual. 

De acordo com o Banco Central, a nova nota tem o mesmo tamanho da cédula de R$ 20 porque não havia tempo hábil para adaptar o parque fabril para produzir um papel maior que a nota de R$ 100. 

No texto, a Defensoria pede também a adequação do parque fabril do Banco Central para a confecção de notas em tamanho diferenciado, para atender à legislação referente à pessoa com deficiência, o que leva à reimpressão das cédulas. 

O tempo dado pela Defensoria na carta para que o Banco Central se manifestasse sobre o assunto terminou no último domingo (20). Contudo, o BC ainda não se manifestou publicamente. 

Leia também: Finanças: 4 opções para diversificar o portfólio e ir além das criptomoedas

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias