Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Venezuela cria bolsa de valores DeFi, aberta ao mundo

Venezuela cria bolsa de valores DeFi, aberta ao mundo

nicolas-maduro-venezuela-bolsa-valores-defi-descentralizada-economia
Imagem: Reprodução.

A Venezuela, que recentemente regulou a mineração de Bitcoin no país, agora deu luz verde para a criação de uma plataforma DeFi para a produção de uma nova Bolsa de Valores descentralizada. 

A plataforma será baseada na tecnologia da criptomoeda Ethereum, listando tokens, e deverá ser aberta para qualquer um interessado. 

O plano é que na nova Bolsa também possam ser negociadas criptomoedas, assim como ações, títulos de dívida, moedas fiduciárias, títulos públicos e até derivativos (opções e futuros). 

Na plataforma será possível que empresas realizem Oferta Pública Inicial (IPO). Custódia de ativos, transferência, negociação e liquidação também serão opções, segundo publicação da Gaceta Oficial

“Esta plataforma permite que o processo de custódia dos títulos seja individual, blindado e público, com um sistema de negociação disponível 24 horas por dia e 7 dias por semana que garante transparência, segurança, rapidez, fiabilidade, rastreabilidade e menor custo das operações.” 

Quem está à frente da iniciativa é a Superintendência Nacional de Valores Mobiliários (Sunaval), espécie de CVM do país comandado por Nicolás Maduro. 

A autorização de funcionamento da plataforma foi publicada no diário oficial do país em 29 de setembro, mas o projeto já estava sendo desenvolvido há alguns meses. 

A Bolsa de Valores Descentralizada da Venezuela, conhecida como BDVE, será a primeira do tipo em todo o mundo, segundo o site oficial, e contará com taxa zero em negociações de moedas fiduciárias e taxa de 0,1% para ativos alternativos. 

Os usuários poderão acessar a plataforma “de qualquer lugar do mundo” e “sem restrições”. 

Inicialmente, a plataforma passará por um teste de 90 dias antes de ser decidido se receberá licença para continuar negociando após o término do período. 

A Venezuela está investindo pesado nas criptomoedas para fugir das sanções dos Estados Unidos, país com o qual vive uma crise política. 

Leia também: Carros de luxo dos chefões da Unick Forex vão a leilão pela Justiça Federal

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias