Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Governo da Venezuela controlará toda a mineração de Bitcoin no país, diz novo decreto

Governo da Venezuela controlará toda a mineração de Bitcoin no país, diz novo decreto

mineração-venezuela-governo-decreto-Militares apreendem 315 ASICs de mineradora local de bitcoin na Venezuela

Um novo decreto publicado na segunda-feira (21) pelas autoridades da Venezuela, determina que todos os mineradores de Bitcoin (BTC) devem participar de um pool nacional, e impõe regulações em todos os aspectos da atividade. 

Com a iniciativa, as autoridades anunciam legalização da mineração de criptomoedas no país. 

No entanto, a medida busca centralizar e controlar cada vez mais as atividades dos mineradores, que viram na Venezuela o maior atrativo para minerar Bitcoin na América do Sul, devido à eletricidade barata e políticas econômicas deflacionárias.

Agora, a fabricação de ASICs, assim como a construção de fazendas de mineração, importação dos equipamentos e distribuição de fundos serão controlados pelo Estado, que regulará as atividades sob a nova lei. 

O decreto foi emitido pela Superintendência Nacional de Ativos de Criptografia e Atividades Relacionadas (SUNACRIP) no Diário Oficial da República, e já entrou em vigor. 

O documento estipula que os cidadãos interessados em minerar Bitcoin e outras criptomoedas dentro da lei, devem solicitar a licença por meio do Cadastro Geral de Mineiros (RIM) na internet, e qualquer pessoa que opere fora do pool nacional estará sujeita a uma multa pesada. 

As autoridades venezuelanas estarão envolvidas em todos os setores que compõem a prática no país, o que vai contra a filosofia do Bitcoin, que visa a descentralização. 

Com o governo sob o comando do pool nacional, as autoridades também estarão encarregadas da distribuição dos BTC de recompensa aos mineradores do país, deixando-os vulneráveis a cobrança de impostos, além de correrem o risco de ter seus fundos congelados ou pagamentos atrasados, aponta a matéria. 

Paxful deixa a Venezuela  

Na semana passada, a exchange ponto a ponto (P2P) de Bitcoin, Paxful, anunciou sua saída da Venezuela, para cumprir as sanções econômicas dos EUA contra o governo de esquerda de Nicolás Maduro e evitar punições. 

Em apenas 48 horas, uma das empresas concorrentes, uma exchange descentralizada chamada LocalCoinSwap cresceu 230%. Entenda. 

Leia também: Ex-funcionário do Credit Suisse usava o nome da avó para fazer day trade na Bolsa brasileira

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias