Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

John McAfee é preso na Espanha por evasão fiscal

John McAfee é preso na Espanha por evasão fiscal

John McAfee é preso na Espanha por evasão fiscal

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ) divulgou nesta segunda-feira (06), a uma acusação contra John McAfee, de “evasão fiscal e omissão deliberada de apresentar declarações de impostos”.

A acusação foi divulgada após a prisão do controverso criador do antivírus McAfee, e segundo o comunicado de imprensa, durante o período de 2014-2018 John David McAfee “não apresentou declaração de imposto de renda”. 

A ausência da declaração ocorreu apesar McAfee ter “receitas consideráveis” de “promoção de criptomoedas, trabalho de consultoria, palestras e venda dos direitos da história de sua vida para um documentário”, conforme reportou Cryptoglobe

O DOJ também afirma que, segundo a acusação, McAfee “supostamente evitou sua responsabilidade tributária direcionando sua renda para ser paga em contas bancárias e contas de câmbio de criptomoeda em nome de outras pessoas”.

Ainda segundo a acusação, “McAfee tentou invadir o IRS ocultando ativos, incluindo bens imóveis, um veículo e um iate, em nome de terceiros”. 

Caso seja condenado, o excêntrico entusiasta das criptomoedas enfrentará uma pena máxima de cinco anos de prisão em cada acusação de evasão fiscal, e uma pena máxima de um ano de prisão em cada acusação de omissão deliberada de declaração de imposto de renda.

Os EUA aguardam extradição de John McAfee, e a reclamação da SEC (Comissão de Valores Mobiliários) afirma:

“De pelo menos novembro de 2017 a fevereiro de 2018, McAfee alavancou sua fama para ganhar mais de US$23,1 milhões em compensação não divulgada, recomendando pelo menos sete ‘ofertas iniciais de moedas’ ou ICOs em seu Twitter”. 

Em seguida, a SEC alega que as recomendações da McAfee eram “materialmente falsas e enganosas” pelos seguintes motivos:

  • “McAfee não revelou que estava sendo pago para promover os ICOs pelos emissores (as empresas que vendem os títulos nos ICOs).”
  • “McAfee falsamente alegou ser um investidor e / ou consultor técnico quando recomendou vários ICOs, dando a impressão de que havia examinado essas empresas, que estavam se beneficiando de sua experiência técnica e que ele estava disposto a investir seu próprio dinheiro nos empreendimentos. ”
  • “… Depois que um blogueiro expôs as promoções pagas da McAfee e não conseguiu mais gerar interesse em ICOs com tweets, McAfee ainda detinha um grande número de títulos virtualmente sem valor dos ICOs que ele havia anunciado anteriormente.”
  • “A McAfee se envolveu em uma prática conhecida como “escalonamento” de pelo menos um ativo digital de segurança, acumulando grandes quantidades de segurança de ativo digital e divulgando no Twitter sem revelar sua intenção de vendê-lo.”
  • “Ele recebeu bitcoin (BTC) e ethereum (ETH) no valor de cerca de US$ 11,6 milhões, além de US$ 11,5 milhões adicionais em tokens promovidos, como compensação não divulgada por suas promoções de sete ICOs.”


O processo da SEC foi aberto no Tribunal Distrital dos Estados Unidos, Distrito Sul de Nova York, no mesmo dia em que saiíram as acusações na Espanha.

Leia também: Bitcoin pode levar o dobro do tempo para chegar a US$ 100.000, diz Bloomberg

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias