Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Escassez de bitcoin pode beneficiar investidores de criptomoedas

Escassez de bitcoin pode beneficiar investidores de criptomoedas

Escassez de bitcoin pode beneficiar investidores de criptomoedas

O preço do Bitcoin (BTC) está disparando à medida que as empresas continuam a comprar o ativo em grandes quantidades, podendo haver uma escassez da criptomoeda.

Uma situação política caótica nos EUA está levando o Federal Reserve a imprimir mais dinheiro, elevando o preço de outros ativos diante da busca da população por segurança contra a inflação.

Um desses ativos é o bitcoin, com seu preço disparando, graças às empresas de tecnologias que compram muitas criptomoedas. 

Conforme reportou o Decrypt, o PayPal e o Cash App já estão comprando mais de 100% de todos os bitcoins recém-emitidos. 

Quando outras instituições financeiras maiores seguirem o mesmo caminho, a escassez de oferta ficará ainda mais desequilibrada. 

A única maneira de se equilibrar a oferta e a demanda é com um preço mais alto no Bitcoin. Alguns especialistas, como o Citibank, acreditam que o ativo pode chegar em US$318 mil até dezembro de 2021. 

Um analista da Forbes aconselha o Hodl do BTC e de outras criptomoedas, pois diversos acontecimentos no mercado estão impulsionando os ativos digitais. 

Com grandes empresas de tecnologia comprando tantos bitcoins, o preço só vai subir, mas isso tornará a criptomoeda menos acessível para as pessoas ‘comuns’ que não têm milhões de dólares.

Segundo o cofundador da academia Crypto Nerds e analista da Quantum Economics, Pedro Febrero, a quantidade de bitcoin ficando “concentrada em menos mãos no longo prazo” pode ser um problema para a democratização das finanças. 

Contudo, o analista aponta que o fornecimento de BTC é limitado e, eventualmente, grandes empresas precisarão vendê-lo. 

“Por fim, não devemos esquecer que nem todo Bitcoin está simplesmente sendo ‘hodled‘”, disse Pedro. 

Uma pesquisa da empresa de análise de blockchain Chainalysis mostrou na semana passada que a quantidade de Bitcoin disponível para compra depende se aqueles que o possuem querem vender ou negociar. 

Cerca de 77% de todos os 14,8 milhões de Bitcoins extraídos estão em carteiras ilíquidas (carteiras que não enviam muitos Bitcoins – mas sim que os mantêm).

Isso mostra que os grandes compradores basicamente compram o ativo e observam seu valor aumentar. E isso não é necessariamente uma coisa ruim. 

Shawn Dexter, analista financeiro descentralizado da Quantum Economics diz que “grandes tecnologias e instituições possuindo uma grande parte do Bitcoin e mantendo-o, servirão apenas para aumentar a segurança subjacente da rede, promovendo a reserva de oferta de valor”.

Dexter afirma ainda que, independentemente do preço da moeda, “ter a opção de comprar um bem que nenhuma potência pode decidir inflacionar unilateralmente é uma forma de democratização”, e que as pessoas ainda poderão utilizá-lo como reserva de valor – como muitas pessoas fazem agora. 

Mas não há necessidade de se preocupar com o desaparecimento da moeda: com empresas como o PayPal comprando, agora é ainda mais fácil de comprar a criptomoeda, mais do que nunca. 

Leia também: Ethereum pode atingir US$700 com o rompimento das principais resistências

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias