Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Nota de R$ 200 não vai durar, afirma Guedes menos de 2 meses após lançamento

Nota de R$ 200 não vai durar, afirma Guedes menos de 2 meses após lançamento

paulo-guedes-nota-200-cédula-reais-economia-ministro-brasil-governo-finanças-dinheiro

O ministro da economia, Paulo Guedes, declarou nesta quinta-feira (29) que a recém-lançada nota de R$ 200 terá vida curta.

Embora a impressão de 450 milhões de cédulas de 200 reais neste ano vá custar um montante de cerca de R$ 90 bilhões aos cofres públicos, Guedes admitiu em audiência pública que a iniciativa foi como um ‘tapa-buraco’.

Falando na Comissão Mista do Congresso Nacional para o acompanhamento de medidas contra a COVID-19, o ministro da economia assumiu que a criação da nota vai à contramão do que outros países têm feito.

Carreira curta

“Já, já o lobo-guará vai se aposentar, terá uma carreira curta”, declarou, ressaltando que a nota de R$ 200 foi criada porque o governo tinha “um problema de logística” para pagar o auxílio emergencial, conforme publicação do Suno Research.

O custo de produção da nova cédula, cuja criação foi criticada por Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central, é de R$ 325 por mil cédulas. Para efeito de comparação, a cédula de R$ 100 custa R$ 280 a cada mil notas produzidas.

“Com o PIX [sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central], o futuro é menos dinheiro na mão e notas mais simples. No futuro vai acabar o lobo-guará, a nota de R$ 200, de R$ 100″, completou o ministro.

Defensoria Pública quer que BC retire as notas de circulação

Embora a fala de Guedes contemple outras causas para a curta duração da nota de R$ 200, lançada há menos de dois meses, assunto já é motivo de discussão há algum tempo.

No início do mês, a Defensoria Pública recorreu à Justiça para pedir que o Banco Central retire as cédulas de circulação.

Segundo a instituição pública, a nova nota gera “efeitos de exclusão e prejuízo” à comunidade de pessoas com deficiência visual, caracterizando discriminação por parte da Administração Pública.

O motivo:

A nova nota possui as mesmas dimensões que a nota de R$ 20, tornando inviável a identificação por pessoas cegas ou com deficiência visual, defende a instituição, que anteriormente havia pedido a reimpressão de todas as notas por este mesmo motivo.

Suspeita de fraude

Enquanto isso, o Ministério Público Federal (MPF), diante de denúncias, pediu que a Polícia Federal investigue uma suspeita de fraude na Casa da Moeda.

Leia também: CEO da Mastercard diz que Bitcoin não serve para inclusão financeira

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias