Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Pelo quê o Bitcoin é apoiado?

Pelo quê o Bitcoin é apoiado?

O Bitcoin é apoiado pelo quê

O argumento de que o Bitcoin (BTC) não tem valor porque não é apoiado por alguma instituição ou por nada físico, continua sendo um dos principais equívocos sobre a criptomoeda.

A questão foi levantada pelo presidente dos EUA, Donald Trump e pelo magnata bilionário Warren Buffett; ambos negam que o bitcoin tenha algum valor, segundo o Decrypt

O Bitcoin não tem uma entidade centralizada que impõe seu valor e não é apoiado por nenhuma mercadoria.

Até algum tempo atrás, a maior parte do dinheiro era em ouro. Isso ocorre porque muitos dos países mais ricos seguiram um sistema monetário conhecido como “padrão ouro”. 

Como parte desse sistema, os países precisavam manter reservas suficientes de ouro em seus cofres para 100% de volta ao suprimento de moeda em circulação, garantindo que as pessoas sempre pudessem trocar sua moeda por ouro, se assim desejassem. 

No entanto, a moeda fiduciária passou a permitir que os Bancos Centrais imprimissem dinheiro novo quando julgarem necessário. Assim como no caso da pandemia causada pelo novo coronavírus, onde alguns países passaram a imprimir mais dinheiro na tentativa de aquecer a economia

Por mais que não tenha valor intrínseco, o valor da moeda fiduciária é definido por mudanças na oferta e demanda, bem como pela força do governo por trás disso.

Como os governos só aceitam o pagamento de impostos em moeda fiduciária, e a evasão fiscal é ilegal, seu valor também é parcialmente mantido pela necessidade de pagar impostos.

Por conta disso, assim como o dólar, o bitcoin não é lastreado, mas isso não significa que a criptomoeda não tenha valor.

O BTC atualmente tem um valor unitário individual de mais de US$12.000 e uma capitalização de mercado total definida como o valor unitário multiplicado pelo número de bitcoins em circulação. 

Recentemente, a criptomoeda bateu sua máxima história em reais, ultrapassando os R$70 mil, com previsões de maiores altas ainda neste ano. 

O Bitcoin não é realmente apoiado por nada físico, apenas pela matemática complicada que fundamenta sua tecnologia de blockchain e fornecimento controlado, sendo resistente á censura.

Segundo Anthony Pompliano, “Se você não acredita em Bitcoin, está essencialmente dizendo que não acredita em criptografia”. Para ele, a tecnologia blockchain confere ao Bitcoin um valor inerente, quase como um padrão ouro para criptomoeda.

O restante do valor do bitcoin pode ser atribuído ao fato de que foi o primeiro sistema monetário bem-sucedido a operar sem uma entidade centralizada.

Seu estoque não pode ser inflado à força, não pode ser facilmente confiscado como o ouro e oferece um nível de liberdade financeira que poucas moedas fiduciárias podem igualar. 

Bitcoin também demonstrou ter valor utilitário; milhares de comércios agora aceitam o BTC como pagamento por bens e serviços, e ele se mostra menos correlacionado com o mercado de ações do que muitos outros ativos – o que o torna útil como uma proteção.

Apesar de suas diferenças óbvias, o Bitcoin acaba sendo semelhante à moeda fiduciária na medida em que é respaldado em grande parte pela confiança do consumidor. À medida que o espaço das criptomoedas cresce, também aumenta a confiança no criptoativo criado por Satoshi Nakamoto.

E como o valor de mercado do BTC é um resultado direto das flutuações na oferta e na demanda, isso significa que ele pode se valorizar significativamente em tempos bons, mas também pode despencar.

Leia também: Saldo de Bitcoin nas exchanges despenca; Valor mais baixo desde 2018

Curta o Criptonizando no Facebook, Instagram, Twitter e Telegram para ficar por dentro de tudo que acontece no Mercado Cripto.

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Últimas Notícias